El sueño del Celta por Mario Vargas Llosa (Nobel Literatura 2010)

El sueño del celta

Esse livro foi escrito por Mario Vargas Llosa, nascido em 1936 em Arequipa, Peru.

O autor escreveu vários livros, e recebeu muitos prêmios e em 07/10/2010 ganhou o premio Nobel de literatura.



Esse livro é da editora Alfaguara e foi impresso no Chile.

O livro é sobre Roger Casement, um irlandês, que foi cônsul britânico e um lutador por direitos humanos e ao mesmo tempo de ser herói dos oprimidos, diários escritos por Roger sobre sua vida pessoal (black diaries) revelam um homem totalmente diferente do que aparentava ser.

O livro é um pouco deprimente…. Porque conta em detalhes sobre como é viver no corredor da morte, conta também todas as injustiças que Roger presenciou em Congo e Peru, e depois disso, sua identificação com seu país natal, Irlanda e sua luta pela liberdade de seu país!

Como se trata de um livro que faz uma história real passar a ser uma ficção, algumas coisas são criadas pelo autor e outras são verdades. Saber o que é ficção e uma realidade passa a ser uma aventura para o leitor.

O livro conta as aventuras de Roger desde seu nascimento em 01/09/1864 até sua morte em 03/08/1916.

Roger é apresentado como um aventureiro, explorador, lutador por direitos humanos, herói e bem de a pouco revela-o como homossexual. Em realidade o mundo jamais saberia isso se Scotland Yard não tivesse encontrado diários pessoais em sua casa, deixando sua memória maculada como homossexual e pedófilo.

Muitos irlandeses negam que os black diaries sejam verdadeiros. Dizem que foram forjados para macular a reputação de Roger. A família de Roger Casement nega o diário, e diz que se trata de traduções que Roger fez ao longo de sua carreira diplomática….

Existe uma matéria na BBC do Reino Unido dizendo que após 80 anos de muitas dúvidas, foram analisados os diários e realmente são de autoria de roger casemente, para quem quiser ler o texto está em ingles e é só clicar aqui:


A melhor sinopse que eu li sobre o livro é de David Gallagher, se vc quiser ler o texto em espanhol é só clicar aqui:  


O que pensa o escritor (Mario Vargas Llosa)  sobre os black diaries:

¨Mi propia impresión – la de un novelista, claro está – es que Roger Casement escribió los famosos diarios pero no los vivió, no por lo menos integralmente, que hay en ellos mucho de exageración y ficción, que escribió ciertas cosas porque hubiera querido pero no pudo vivirlas.¨Fls. 449 do livro.

O escritor pensa que a autoria dos black diaries são de roger casemente, mas também pensa que muitas coisas são pura invenção e outras quiza ele tenha realmente vivido.



Para vcs terem ideia do que acontecia no mundo vou refrescar sua memoria sobre o Panorama mundial:

No Brasil:                                                                     

– 1494 Portugal e Espanha assinaram o Tratado de Tordesilhas
– 1500 Pedro Alvares Cabral descobre o Brasil
– Como o Brasil era muito grande e a mao de obra pouca, os colonos portugueses traziam negros da Africa para o Brasil
– A escravidão começou com o comércio de pessoas altamente desumano que não tenho palavras para explicar
– Os africanos vinham em navios negreiros. Aqui no Brasil os escravos eram vendidos e recebiam chicotadas, viviam em senzalas e também podiam ser castigados em postes
– No Brasil a escravidão durou 300 anos, a minoria que era contra a escravidão criou um movimento abolicionista e no ano de 1800 paulatinamente a escravidão foi acabando no Brasil
– O Brasil em 07/09/1822 se tornou independente de Portugal, ironicamente pelo próprio Rei D. Pedro.
– Somente depois da independência é que a abolicao da escravatura se tornou tema urgente
– Datas importantes que vc deve saber sobre a abolicao da escravatura no Brasil:
1850 extincao do trafico negreiro
28/09/1871 Lei do ventre Livre, o nome já diz tudo, toda criança filho de escravo que nacesse depois dessa lei seria livre
1885 Lei dos Sexagernários, ou seja, todo escravo depois de 65 anos era considerado livre
13/05/1888 foi promulgada a Lei Aurea que dava liberdade a todos os escravos no Brasil

Bom, depois disso em 15/11/1889 foi proclamada a República no Brasil.

O que é bom vc saber é que muito antes de Roger Casement vários homens já lutavam contra a escravatura, inclusive muitos brasileiros. Um dos principais foi Joaquim Nabuco, quem escreveu o ¨Abolicionismo¨. Também não poderia deixar de citar José Carlos do Patrocínio e Castro Alves.

Uma frase de Joaquim Nabuco que eu amei de paixão e eu acho que tem tudo a ver com o tema do livro, vou transcrever aqui:

¨O verdadeiro patriotismo é o que concilia a pátria com a humanidade¨ Joaquim Nabuco

Quando Roger Casement esteve no Brasil nosso país já era inclusive uma República e já havia sido abolido a escravidão.

Agora passemos a recordar história de outro país:

NA INGLATERRA                                                      

A Inglaterra foi um país que ganhou muito dinheiro com o tráfico negreiro, porque como dominava o Oceano Atlantico passou a vender africanos. Mas com a revolução industrial seus interesses econômicos mudaram e em 1807 aboliu o comércio de escravos. E depois disso começou uma campanha entre outros países para acabar com o tráfico negreiro.

Pra quem não se lembra Jamaica, Barbados, America do Norte, Australia, India, Irak, Egito, Africa do Sul, Gana, Nigeria, Serra Leoa, Uganda, Kenia, Zanzibar eram algumas das Colonias Inglesas.

Em 1834 a escravidão foi abolida das colônias inglesas.

Os anos de 1870 a 1914 é conhecido como novo imperialismo. Inglaterra depois de ter perdido várias colônias que se independizaram começa a correr atrás de novos territórios para colonizar. Africa passou a ser alvo dessa nova etapa. Entre 1884 a 1914 Inglaterra tinha 30% do território Africano.

Foi criado em Liverpool um museu sobre o tráfico de africanos ¨International Slavery Museum¨, se vc quiser acessar é só clicar aqui:


Inglaterra não apenas colonizou e subjugou povos distantes. Na ilha de Gra Bretanha e na Ilha Irlandesa Inglaterra também mantinha poder sobre esses povos. Pra vc entender melhor quero dizer que em essas duas ilhas viviam povos celtas e outros e depois da retirada dos romanos eles foram gradualmente sendo colonizados pelos ingleses. O idioma de cada um desses países foi sendo abandonado e o inglês introduzido. Bom, se eles estavam de acordo ou não…. Isso já não interessa…. O que é importante vc saber é que em 1707 Escocia e Inglaterra se unem, outros países das ilhas Gra –Bretanha também se unem (Gales…..) e forma O Reino Unido (UK- United Kingdon).

Nessa união de países chamada Reino Unido cada país mantem o seu idioma nativo, mas também o inglês. Todos são britânicos porque participam do Reino Unido, mas mantém a nacionalidade. Ou seja, todos são britânicos, mas os escoceses são escocês. Os ingleses são chamados de inglês e assim por diante.

No Ano de 1800 toda a ilha de Irlanda se une através de votação em seu parlamento ao Reino Unido. Então, esse no conglomerado de países passa a chamar Grã-Bretanha e Reino de Irlanda.

Agora recordemos um pouco sobre a história do país BÉLGICA:

Bélgica                                                                          

A história do país Bélgica parece mais estória de novela mexicana….. Tanto é verdade que esse país é conhecido como o campo de batalha da Europa…. Depois de muito sofrer em 1830 Bélgica proclama sua independência de Holanda. O período que o livro relata o Rei da Bélgica se chamava Leopoldo II.

Bélgica como país independente tão pouco quis ficar fora da corrida para colonizar África. Astutamente, Rei Leopoldo II convoca uma reunião chamada de Conferencia Geográfica de Bruxelas, para decidir a partilha da África entre os colonos europeus. E nesse instante também cria a AIA (Associação Internacional Africana), uma associação com o intuito de prestar ajuda humanitária em África.

O discurso humanitário serviu para Rei Leopoldo II explorar o Congo e fazer como todo colonizador europeu, dizimar os povos nativos e explorar riquezas.

Só que Rei Leopoldo II resolve fazer isso quando a maioria dos países já havia abolido a escravidão. Então, em 1904 Roger Casement publica um relatório sobre todas as atrocidades cometidas no Congo, e então começa a luta humanitária em favor do Congo.

E por fim, recordemos um pouco sobre a história do país PERU:

O ano de 1800 para Peru foi um ano demasiado intenso. Ano de independência, ano de período de confederação com Bolívia, guerra com Espanha, Chile, Bolívia e por fim liberdade. De 1899 até 1919 Peru vive a Republica Aristrocrática.

Augusto B. Leguia foi um ministro da fazenda e depois eleito presidente de 1908 a 1912. Em 1909 Leguia sofre um golpe, mas não renuncia, e continua sendo presidente.

Nessa época o presidente Leguia permite a exploração de ¨caucho¨e látex na Amazônia Peruana. E Julio C.Arana é uma das figuras que mais se destaca com essa exploração.

Pra quem pensa que a floresta Amazônia é só brasileira……  Esse livro dá uma aula de geografia para os mais desavisados.

Em 1919 Leguia dá um golpe de Estado, dissolve o congresso. Para depois convocar uma assembleia, fazer uma nova constituição. Esse período de 1919-1930 é conhecido como ONCENIO.

Acho que deu para entender o panorama mundial da época de Roger Casement.

Voltando ao tema sobre o livro….                                   



Roger tem o mesmo nome do seu pai e ele amava  ouvir as histórias das campanhas militares feitas por seu pai em países distantes como índia e o continente africano.

Creio que todas essas estórias criou em Roger uma personalidade aventureira e destemida. A mae de Roger falece quando ele é crianca e depois disso seu pai deixe os filhos na casa de um tio, e em poucos anos o pai também falece e Roger e seus irmaos ficam orfaos. Então, Roger começa a trabalhar jovem por questões financeiras de seus tios e se aventura a ir a África, ao país Congo.

Em Congo Roger trabalha para várias pessoas, passa a ser testemunha de tantas barbáries que começa a se sentir frustrado. Na tentativa de diminuir seu sofrimento Roger trabalha para uma missão Batista, mas tampouco isso era algo que ele queria para sua vida, por falta de fé. Por fim Roger encontra o trabalho ideal, ser Cônsul Britânico.

Como Cônsul Britânico Roger escreve dois relatórios que ficaram mundialmente conhecidos. Roger além de escrever, tinha provas de tudo o que investigava, porque tirava fotos e compilava os testemunhos de todas as pessoas que interrogava. O primeiro relatório que escreveu para o governo Britânico foi sobre as tragédias no Congo e o segundo sobre a exploração de ¨caucho¨e látex na Amazônia de Peru.

Ao ser testemunha das barbáries em Congo e Peru Roger como irlandês se sente tão agredido como os congolenhos e os peruanos na Amazônia. Esse sentimento nacionalista faz com que ele comece a trabalhar arduamente para alcançar a liberdade em seu país.

Quando Roger começa sua luta nacionalista em Irlanda já havia muitos irlandeses que lutavam pela independência. Importante ressaltar que em Irlanda as pessoas de fé Católica queriam a independência e os Protestantes queriam permanecer unidos ao Reino Unido. Ademais de toda luta contra o Reino Unido….. Ainda existia uma luta entre os próprios Irlandeses, que não necessito entrar em detalhes porque creio que todos conhecem um pouco sobre essa situação.

Em determinada época de sua vida Roger pensa que Irlanda somente poderá ser livre se lutam com armas por sua independência. Então, Roger faz todo o possível e impossível para conseguir isso. Inclusive faz aliança com Alemanha para formar um exército Irlandês. E nesse tentativa de formar um exercito e trazer armas para a Irlanda é capturado pelo governo Inglês, julgado e condenado.

O escritor escreve de maneira bem clara, concisa e eficiente. Não fica floreando muito e por isso vc tem a impressão de estar lendo os relatórios escritos pelo próprio Roger. Achei que a forma como o autor escreve se parece com a personagem e por isso o livro é interessante.

Quando eu estava lendo o livro eu me lembrava de muitos fatos históricos, mas não me recordava muito bem as datas… Por isso resolvi fazer esse mini resumo para que vc não fique  perdido ao ler o livro.

Quando vc lê este livro praticamente ganha uma aula de geografia e história no pacote…. Ao mesmo tempo o livro nos faz reflexionar sobre ser humano e ter compaixão pelas pessoas. 

 Eu li o livro em espanhol. Fica aí a dica pra quem gosta de história.

Termino o comentário repetindo as palavras de Joaquim Nabuco, porque eu concordo em gênero, numero e grau com ele sobre o verdadeiro patriotismo:

¨O verdadeiro patriotismo é o que concilia a pátria com a humanidade¨


Beijos

Emiliana

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Prove you aren't a robot *