Estudo bíblico sobre o livro de Hebreus

Olá amigos(as),

 

Para vc que ama estudar a bíblia e quer conhecer um pouco mais, hoje quero compartilhar um estudo bíblico sobre o livro de Hebreus.

Aqui vc encontrará muitas informações, como exemplo: sobre quem escreveu o livro, a data em que foi escrito, qual o versículo chave, quais os temas principais e quais os propósitos com que o livro foi escrito.

“3 Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3

 

Conhecer a Deus é algo especial para a vida do cristão. Mas muitas pessoas leem a bíblia e obtém apenas informação, como muitos fariseus no tempo de Jesus.

“39 Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito;” João 5:39

 

Ler a bíblia consiste em receber uma revelação divina através do Espírito Santo de Deus, tal fato deve ser algo perseguido por todo cristão.

“6 Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica.” 2 Coríntios 3:6

 

Além disso, o mais importante de conhecer a Deus é colocar em prática tudo o que vc tem aprendido, ter experiências com Deus, ver Deus agindo, ser testemunha de Seus milagres.

Por isso, aproveite essa oportunidade para conhecer mais. Tenho certeza que esse estudo será edificante para vc.

 

Quem escreveu o livro de Hebreus?

 

O livro de hebreus é um dos livros mais complicados do Novo Testamento para estudar. As controvérsias começam pela autoria, justamente porque não existe na carta qualquer menção ao autor. O autor é desconhecido.

Alguns teólogos pensam que o autor dessa carta foi o apóstolo Paulo. Muitos padres da igreja cristã em seus primeiros anos, atribuíam a autoria ao apóstolo Paulo.

Os teólogos que são contrários a autoria de Paulo discordam de ela pelos seguintes motivos:

 

  • Menção: alguns teólogos pensam que o apóstolo Paulo não escreveu a carta Hebreus porque não esta escrito seu nome como autor. Paulo em todas suas cartas deixa bem claro que ele escreveu e aproveita para declarar sua autoridade apostólica e seu chamado

 

  • Introdução: o apóstolo Paulo sempre dirige suas cartas a pessoas ou igrejas específicas, e na carta a Hebreus não há menção e nenhum saludo pessoal

  

  • Itália: o apóstolo Paulo nunca usou a palavra Itália em suas cartas. E essa palavra aparece no livro de hebreus uma vez e 3 vezes no livro de Atos.

 

  • Estilo: o apóstolo Paulo sempre escreve em o formato de uma carta, mas Hebreus parece mais uma pregação, um sermão. Além disso Paulo sempre escreveu com um grego mais simples. E o estilo de grego em que Hebreus foi escrito é muito sofisticado, como se fosse um erudito em grego.

 “22 Irmãos, peço-lhes que suportem a minha palavra de exortação; na verdade o que eu lhes escrevi é pouco.” Hebreus 13:22

 

“17 Pois Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o evangelho, não porém com palavras de sabedoria humana, para que a cruz de Cristo não seja esvaziada.” 1 Coríntios 1:17

“2 Eu mesmo, irmãos, quando estive entre vocês, não fui com discurso eloqüente, nem com muita sabedoria para lhes proclamar o mistério de Deus[a].”  1 Coríntios 2:1

 “6 Eu posso não ser um orador eloqüente; contudo tenho conhecimento. De fato, já manifestamos isso a vocês em todo tipo de situação.” 2 Coríntios 11:6

 

 

  • Exclusão: o autor se exclui do grupo de pessoas que escutaram a Jesus pessoalmente, vejamos Hebreus 2:3

 

“3 como escaparemos, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram.” Hebreus 2:3 

Paulo sempre deixou claro que havia escutado diretamente de Jesus, vejamos:

“11 Irmãos, quero que saibam que o evangelho por mim anunciado não é de origem humana. 12 Não o recebi de pessoa alguma nem me foi ele ensinado; ao contrário, eu o recebi de Jesus Cristo por revelação.” Gálatas 1:11-12

 

“23 Pois recebi do Senhor o que também lhes entreguei: Que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão” 1 Coríntios 11:23

 

 

  • Citações do VT: o apóstolo Paulo sempre cita o AT usando a versão hebraica, enquanto que o autor do livro de Hebreus cita o AT usando a Septuaginta (tradução grega do VT)

 

Portanto, analisando esses seis pontos acima percebemos que é bastante baixa a probabilidade de que o apóstolo Paulo seja o autor dessa carta.

 

Mas, se Paulo não é o autor quem será?

 

O autor do livro provavelmente deve ser judeu, uma pessoa que conhecia as escrituras, um homem culto, experto em grego, com autoridade e deveria ser uma pessoa bem popular para os líderes das igrejas.

Em Atos 18:24-28 existe uma menção a um homem com todas essas qualidades. Vejamos:

“24 Enquanto isso, um judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, chegou a Éfeso. Ele era homem culto[a] e tinha grande conhecimento das Escrituras. 25 Fora instruído no caminho do Senhor e com grande fervor[b] falava e ensinava com exatidão acerca de Jesus, embora conhecesse apenas o batismo de João. 26 Logo começou a falar corajosamente na sinagoga. Quando Priscila e Áqüila o ouviram, convidaram-no para ir à sua casa e lhe explicaram com mais exatidão o caminho de Deus 27 Querendo ele ir para a Acaia, os irmãos o encorajaram e escreveram aos discípulos que o recebessem. Ao chegar, ele auxiliou muito os que pela graça haviam crido, 28 pois refutava vigorosamente os judeus em debate público, provando pelas Escrituras que Jesus é o Cristo.” Atos 18:24-28

 

Apolo seria o provável autor do livro de Hebreus, principalmente pelo fato de que Apolo é proveniente da cidade de Alexandria. Uma cidade grega fundada por Alexandre Magno, onde foi realizada a tradução do VT para o grego (Septuaginta).

Os outros possíveis autores seriam Barnabé, Lucas e Priscila. Lamentavelmente a autoria do livro são apenas suposições, porque não existe nenhuma menção na bíblia referente ao autor.

 

Em que data foi escrito o livro de Hebreus?

 

O livro foi escrito possivelmente antes de 70, aproximadamente no ano 65  D.C.

O fato de não haver menção a segunda volta de Cristo nessa carta, sugere que ela tenha sido escrita depois de Paulo, já que o apóstolo Paulo era grande pregador sobre o tema.

O fato de que Timóteo tenha sido citado em Hebreus 13:23 demonstra que ele ainda estava vivo e que continuava sua obra ministerial.

“23 Quero que saibam que o nosso irmão Timóteo foi posto em liberdade. Se ele chegar logo, irei vê-los com ele.” Hebreus 13:23

 

O fato de que o autor declara não haver conhecido a Jesus pessoalmente situa a carta por um período mais tarde a morte de Jesus.

“3 como escaparemos, se negligenciarmos tão grande salvação? Esta salvação, primeiramente anunciada pelo Senhor, foi-nos confirmada pelos que a ouviram.” Hebreus 2:3

 

Além disso, se levarmos em consideração os trechos bíblicos que relatam perseguição aos cristãos, poderíamos situar a carta com o período de governo do imperador Nero (68 suicidou) ou Domiciano. Vejamos:

“32 Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados, quando suportaram muita luta e muito sofrimento. 33 Algumas vezes vocês foram expostos a insultos e tribulações; em outras ocasiões fizeram-se solidários com os que assim foram tratados. 34 Vocês se compadeceram dos que estavam na prisão e aceitaram alegremente o confisco dos seus próprios bens, pois sabiam que possuíam bens superiores e permanentes.” Hebreus 10:32-34

 

“4 Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue.” Hebreus 12:4

 Portanto a maioria dos teólogos situam essa carta entre 65-70.

 

 

Em que contexto histórico o livro de Hebreus foi escrito?

O livro foi escrito quando a igreja estava em crescimento e expansão.

 

Qual seria o versículo chave desse livro?

Possivelmente o versículo chave do livro seria:

“Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.” Hebreus 1:1-2

 

 

 

 

 

A quem foi dirigida a carta aos hebreus?

Não existe nenhuma citação aos destinatários da carta. Se supõe pelo conteúdo e estilo, que essa carta foi escrita de um hebreu para hebreus. Ou seja, escrita por um judeu cristão a vários judeus cristãos.

Quando digo que o conteúdo e o estilo da carta marcam seu destinatário é porque existe um imenso número de citações do antigo testamento, com o objetivo de provar que Jesus é superior a Moisés e todo o antigo pacto.

No capítulo 8 vemos o ápice dessa expressão quando o autor do livro diz que o “pacto antigo” já não é válido, porque foi substituído pelo “pacto novo”, isto é, Jesus. Confira a leitura bíblica:

 

“6 Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores. 7 Pois, se aquela primeira aliança fosse perfeita, não seria necessário procurar lugar para outra. 8 Deus, porém, achou o povo em falta e disse: “Estão chegando os dias, declara o Senhor, quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá.9 Não será como a aliança que fiz com os seus antepassados, quando os tomei pela mão para tirá-los do Egito; visto que eles não permaneceram fiéis à minha aliança, eu me afastei deles”, diz o Senhor. 10 “Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias”, declara o Senhor. “Porei minhas leis em sua mente e as escreverei em seu coração. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. 11 Ninguém mais ensinará o seu próximo, nem o seu irmão, dizendo:  ‘Conheça o Senhor’, porque todos eles me conhecerão, desde o menor até o maior. 12 Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados”[a]. 13 Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de desaparecer.” Hebreus 8:6-13

 

Assim como Jesus é superior a Moisés, o pacto de Jesus também é superior.

Vejamos um quadro comparativo entre as citações de Hebreus e do VT:

 

Hebreus V.T.
Hb 2:5-9 Salmos 8:4-6
Hb 3:7; Hb 4:13 Salmos 95:7-11
Hb 4:14; Hb 7:28 Salmos 110:4
Hb 8:1 ate Hb 10:18 Jeremias 31:31-34
Hb 10:32; Hb 12:3 Habacuque 2:3-4
Hb 12:4-13 Provérbios 3:11-12
Hb 12:18-24 Êxodo 19:10-23
Hb 10:1-10 Salmos 40:6-8

 

Hebreus é uma exortação aos judeus cristãos para que os mesmos abandonassem os ritos da lei, para viver uma vida de fé em Cristo.

Sabemos que os destinatários da carta se tratam de cristãos porque se pode averiguar através da leitura de Hebreus 5:12

“12 Embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido!” Hebreus 5:12

 

Ademais, se observamos alguns outros versículos aprendemos que se tratava de cristãos sinceros porque haviam suportado perseguição conforme lemos em hebreus 10:33-34

“33 Algumas vezes vocês foram expostos a insultos e tribulações; em outras ocasiões fizeram-se solidários com os que assim foram tratados. 34 Vocês se compadeceram dos que estavam na prisão e aceitaram alegremente o confisco dos seus próprios bens, pois sabiam que possuíam bens superiores e permanentes.” Hebreus 10:33-34

 

Mas eram cristãos que estavam em constante conflito e desanimados, conforme análise dos versículos abaixo:

“3 Pensem bem naquele que suportou tal oposição dos pecadores contra si mesmo, para que vocês não se cansem nem desanimem. 4 Na luta contra o pecado, vocês ainda não resistiram até o ponto de derramar o próprio sangue.” Hebreus 12:3-4

“12 Portanto, fortaleçam as mãos enfraquecidas e os joelhos vacilantes.” Hebreus 12:12

 

Portanto, o estilo, linguagem, idioma, e conteúdo da carta são as maiores pistas que temos sobre os destinatários, o que nos leva a crer que se tratava de judeus cristãos.

 

 

 

 

Qual o propósito do livro de Hebreus?

 

O livro foi escrito com o propósito de chamar a atenção dos cristãos hebreus a não voltar as tradições judaicas impostas pela lei, porque o caminho com Jesus é muito melhor e superior.

Outro grande propósito dessa carta é exortar aos cristãos a estarem sempre buscando a Deus, em constante crescimento, sem estagnação.

A respeito desse tema quero transcrever um parágrafo do livro “ O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo” , autor R.N. Chmaplin, editora Hagnos, volume 5, folhas 469:

“ …. os crentes são convidados a deixarem de lado a sua preguiça mental e a estagnação na sua experiência espiritual (ver Heb 6:1-3), para contrabalançar toda a tendência de apostasia de fé. Se um homem cresce diariamente em Cristo, não cairá na tentação de tornar-se frio, ou de abandonar eventualmente a sua fé. Essa é uma mensagem urgente para os tempos modernos; pois o que destrói nossas igrejas, a não ser a ausência total de ensinamento vital e pouco interesse pelas evidências do Espírito entre nós? A estagnação é algo destrutivo para a fé.”

Essa carta também foi escrita com um propósito bastante severo. Exortar aos cristãos a respeito da apostasia. Nessa carta está uma das maiores advertências do Novo Testamento.

Portanto, o propósito central e principal do livro diz respeito sobre a supremacia de Cristo Jesus.

Como são muitos propósitos e todos superimportantes para a vida cristã vamos estudar cada um em detalhes.

 

  • Revelação através do Filho (JESUS)

Essa carta que devido ao seu conteúdo poderíamos chamá-la de tratado começa introduzindo o tema principal do livro. Aqui o autor escreve sobre a revelação máxima de Deus.

O livro começa com Deus falou! Vejamos:

“1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.“ Hebreus 1:1-2

Quando dizemos que Deus falou, significa que Deus revelou algo. E essa revelação foi realizada através do Filho de Deus, Jesus.

Jesus é revelado ao mundo e aos homens para trazer salvação, para ser o mediador entre Deus e o homem, e para inaugurar essa Nova Aliança com os homens.

E para que os destinatários conheçam a Jesus (nova revelação), o autor descreve a Jesus da seguinte maneira:

 

  1. O autor escreve sobre Jesus como revelador (Hb 1:1-2)

 

“1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.

  

  1. O autor escreve sobre a posição de Jesus como herdeiro (Hb 1:1-3)

 

“1 Há muito tempo Deus falou muitas vezes e de várias maneiras aos nossos antepassados por meio dos profetas, 2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo. 3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:1-3

 

  1. O autor escreve sobre a pré-existência de Jesus (Jesus como criador do mundo)

“2 mas nestes últimos dias falou-nos por meio do Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas e por meio de quem fez o universo.” Hb 1:2

 

  1. O autor escreve sobre a divindade de Jesus

 

“3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:3

  

  1. O autor escreve sobre o poder sustentador de Jesus

 

“3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:3

 

 

  1. O autor escreve sobre a impecabilidade de Jesus (Hb 4:15 ; Hb 7:26)

 

“15 pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.” Hebreus 4:15

 

“26 É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus.” Hebreus 7:26

 

  1. O autor escreve sobre a obediência de Jesus

 

“8 Embora sendo Filho, ele aprendeu a obedecer por meio daquilo que sofreu; 9 e, uma vez aperfeiçoado, tornou-se a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem,” Hebreus 5:8-9

 

“10 Ao levar muitos filhos à glória, convinha que Deus, por causa de quem e por meio de quem tudo existe, tornasse perfeito, mediante o sofrimento, o autor da salvação deles.” Hebreus 2:10

 

  1. O autor escreve sobre a exaltação de Jesus

 

 “8 O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse, o qual se assentou à direita do trono da Majestade nos céus” Hebreus 8:1

 

“2 tendo os olhos fitos em Jesus, autor e consumador da nossa fé. Ele, pela alegria que lhe fora proposta, suportou a cruz, desprezando a vergonha, e assentou-se à direita do trono de Deus.” Hebreus 12:2

 

 

  1. O autor escreve sobre a superioridade de Jesus

 

“5 Pois a qual dos anjos Deus alguma vez disse: “Tu és meu Filho; eu hoje te gerei”[a]?

E outra vez: “Eu serei seu Pai, e ele será meu Filho”?” Hebreus 1:5

 

“9 Vemos, todavia, aquele que por um pouco foi feito menor do que os anjos, Jesus, coroado de honra e de glória por ter sofrido a morte, para que, pela graça de Deus, em favor de todos, experimentasse a morte.” Hebreus 2:9

 

“3 Portanto, santos irmãos, participantes do chamado celestial, fixem os seus pensamentos em Jesus, apóstolo e sumo sacerdote que confessamos. 2 Ele foi fiel àquele que o havia constituído, assim como Moisés foi fiel em toda a casa de Deus. 3 Jesus foi considerado digno de maior glória do que Moisés, da mesma forma que o construtor de uma casa tem mais honra do que a própria casa. 4 Pois toda casa é construída por alguém, mas Deus é o edificador de tudo. 5 Moisés foi fiel como servo em toda a casa de Deus, dando testemunho do que haveria de ser dito no futuro, 6 mas Cristo é fiel como Filho sobre a casa de Deus; e esta casa somos nós, se é que nos apegamos firmemente[a] à confiança e à esperança da qual nos gloriamos.” Hebreus 3:1-6

 

  1. O autor escreve sobre Jesus como Sumo Sacerdote

 

“17 Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus, e fazer propiciação[a] pelos pecados do povo.” Hebreus 2:17

 

“15 pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.” Hebreus 4:15

 

“5 Todo sumo sacerdote é escolhido dentre os homens e designado para representá-los em questões relacionadas com Deus e apresentar ofertas e sacrifícios pelos pecados.2 Ele é capaz de se compadecer dos que não têm conhecimento e se desviam, visto que ele próprio está sujeito à fraqueza. 3 Por isso ele precisa oferecer sacrifícios por seus próprios pecados, bem como pelos pecados do povo. 4 Ninguém toma esta honra para si mesmo, mas deve ser chamado por Deus, como de fato o foi Arão. 5 Da mesma forma, Cristo não tomou para si a glória de se tornar sumo sacerdote, mas Deus lhe disse:“Tu és meu Filho; eu hoje te gerei”[a]. 6 E diz noutro lugar:“Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”[b].” Hebreus 5:1-6

 

  1. O autor escreve sobre o sacrifício incomparável de Jesus (o sumo sacerdote que entrega sua própria vida)

 

“27 Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, ele não tem necessidade de oferecer sacrifícios dia após dia, primeiro por seus próprios pecados e, depois, pelos pecados do povo. E ele o fez uma vez por todas quando a si mesmo se ofereceu.” Hebreus 7:27

 

 

“12 Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção.” Hebreus 9:12

 

“14 quanto mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu de forma imaculada a Deus, purificará a nossa consciência de atos que levam à morte[a], para que sirvamos ao Deus vivo!”  Hebreus 9:14

 

“26 Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes, desde o começo do mundo. Mas agora ele apareceu uma vez por todas no fim dos tempos, para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo.” Hebreus 9:26

 

“10 Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas.” Hebreus 10:10

 

  1. O autor escreve sobre os resultados do sacrifício de Jesus

 

Jesus veio ao mundo para nos salvar de nossos pecados. O sacrifício de Jesus nos purifica de todo pecado.

 

“3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:3

“23 Portanto, era necessário que as cópias das coisas que estão nos céus fossem purificadas com esses sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios superiores.” Hebreus 9:23

“2 Se pudesse fazê-lo, não deixariam de ser oferecidos? Pois os adoradores, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais se sentiriam culpados de seus pecados. 3 Contudo, esses sacrifícios são uma recordação anual dos pecados,” Hebreus 10:2-3

“22 Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura.”  Hebreus 10:22

 

Jesus nos justifica!

 

“14 porque, por meio de um único sacrifício, ele aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados.” Hebreus 10:14

 

Jesus nos santifica!

“11 Ora, tanto o que santifica quanto os que são santificados provêm de um só. Por isso Jesus não se envergonha de chamá-los irmãos.” Hebreus 2:11

“10 Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas.” Hebreus 10:10

“12 Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue.” Hebreus 13:12

 

  1. O autor escreve sobre a missão de Jesus

 

Jesus completou sua obra salvadora e terminou sua missão (salvar o mundo)!

“3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:3

 

  1. O autor escreve sobre o Novo Pacto inaugurado por Jesus

“13 Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de desaparecer.” Hebreus 8:13

 

“6 Portanto, deixemos os ensinos elementares a respeito de Cristo e avancemos para a maturidade, sem lançar novamente o fundamento do arrependimento de atos que conduzem à morte[a], da fé em Deus, 2 da instrução a respeito de batismos, da imposição de mãos, da ressurreição dos mortos e do juízo eterno. 3 Assim faremos, se Deus o permitir. 4 Ora, para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, 5 experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, 6 e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento;[b] pois para si mesmos[c] estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública. 7 Pois a terra, que absorve a chuva que cai freqüentemente, e dá colheita proveitosa àqueles que a cultivam, recebe a bênção de Deus. 8 Mas a terra que produz espinhos e ervas daninhas, é inútil e logo será amaldiçoada. Seu fim é ser queimada.” Hebreus 6:1-8

  

  • Advertências

 

O autor entendia que a carta por completo se tratava de uma palavra de exortação. Por isso, o autor tinha medo de que os destinatários não ficariam muito contentes em ler a carta.

 

Então, ao final o autor roga aos destinatários que levem em consideração as exortações para que tenham uma vida cristã saudável.

“22 Irmãos, peço-lhes que suportem a minha palavra de exortação; na verdade o que eu lhes escrevi é pouco.” Hebreus 13:22

 

Vejamos alguns versículos com as advertências realizadas pelo autor aos destinatários da carta:

“6 mas Cristo é fiel como Filho sobre a casa de Deus; e esta casa somos nós, se é que nos apegamos firmemente[a] à confiança e à esperança da qual nos gloriamos.” Hebreus 3:6

“12 Cuidado, irmãos, para que nenhum de vocês tenha coração perverso e incrédulo, que se afaste do Deus vivo.” Hebreus 3:12

“6 e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento;[a] pois para si mesmos[b] estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública.” Hebreus 6:6

“29 Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?” Hebreus 10:29

 

  • Supremacia de Cristo

 

O autor desse livro escreve de maneira bem clara sobre a Supremacia de Cristo. Cristo é melhor e superior que Moisés, ou anjo ou sacerdote.

“3 Portanto, santos irmãos, participantes do chamado celestial, fixem os seus pensamentos em Jesus, apóstolo e sumo sacerdote que confessamos. 2 Ele foi fiel àquele que o havia constituído, assim como Moisés foi fiel em toda a casa de Deus. 3 Jesus foi considerado digno de maior glória do que Moisés, da mesma forma que o construtor de uma casa tem mais honra do que a própria casa. 4 Pois toda casa é construída por alguém, mas Deus é o edificador de tudo. 5 Moisés foi fiel como servo em toda a casa de Deus, dando testemunho do que haveria de ser dito no futuro, 6 mas Cristo é fiel como Filho sobre a casa de Deus; e esta casa somos nós, se é que nos apegamos firmemente[a] à confiança e à esperança da qual nos gloriamos.” Hebreus 3:1-6

 

“6 Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores. 7 Pois, se aquela primeira aliança fosse perfeita, não seria necessário procurar lugar para outra. 8 Deus, porém, achou o povo em falta e disse: “Estão chegando os dias, declara o Senhor, quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá.9 Não será como a aliança que fiz com os seus antepassados, quando os tomei pela mão para tirá-los do Egito; visto que eles não permaneceram fiéis à minha aliança, eu me afastei deles”, diz o Senhor. 10 “Esta é a aliança que farei com a comunidade de Israel depois daqueles dias”, declara o Senhor. “Porei minhas leis em sua mente e as escreverei em seu coração. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. 11 Ninguém mais ensinará o seu próximo, nem o seu irmão, dizendo:  ‘Conheça o Senhor’, porque todos eles me conhecerão, desde o menor até o maior. 12 Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados”[a]. 13 Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de desaparecer.” Hebreus 8:6-13

 

 

“4 tornando-se tão superior aos anjos quanto o nome que herdou é superior ao deles. 5 Pois a qual dos anjos Deus alguma vez disse: “Tu és meu Filho; eu hoje te gerei”[a]?

E outra vez: “Eu serei seu Pai, e ele será meu Filho”[b]? 6 E ainda, quando Deus introduz o Primogênito no mundo, diz: “Todos os anjos de Deus o adorem”[c]. 7 Quanto aos anjos, ele diz: “Ele faz dos seus anjos ventos, e dos seus servos, clarões reluzentes”[d]. 8 Mas a respeito do Filho, diz: “O teu trono, ó Deus, subsiste para todo o sempre; cetro de equidade  é o cetro do teu Reino. 9 Amas a justiça e odeias a iniqüidade; por isso Deus, o teu Deus, escolheu-te dentre  os teus companheiros, ungindo-te com óleo de alegria” Hebreus 1:4-9

 

“22 Jesus tornou-se, por isso mesmo, a garantia de uma aliança superior. 23 Ora, daqueles sacerdotes tem havido muitos, porque a morte os impede de continuar em seu ofício; 24 mas, visto que vive para sempre, Jesus tem um sacerdócio permanente. 25 Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente[d] aqueles que, por meio dele, aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles.26 É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus. 27 Ao contrário dos outros sumos sacerdotes, ele não tem necessidade de oferecer sacrifícios dia após dia, primeiro por seus próprios pecados e, depois, pelos pecados do povo. E ele o fez uma vez por todas quando a si mesmo se ofereceu. 28 Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas; mas o juramento, que veio depois da Lei, constitui o Filho perfeito para sempre.”

 

 

  • Fé e perseverança

 

Outro tema grandioso em essa carta é o texto escrito sobre fé e perseverança, apesar das circunstâncias.

 

O autor escreve um conceito sobre a fé, depois faz uma lista de pessoas do velho testamento os quais se destacaram pela fé. Esse trecho da bíblia é conhecido como a “galeria dos heróis da fé”. Apesar do sofrimento dessas pessoas elas perseveraram. Esse texto é um grande exemplo para nós atualmente e também uma fonte de ânimo para os crentes que estão passando por problemas.

Para ler em detalhes um sumário sobre a fé favor clicar aqui em outro estudo bíblico.

 

Sumário sobre a fé

 

Quais os temas principais do livro de Hebreus?

 

Jesus é o Cristo, Messias e sumo sacerdote. Jesus é a nova revelação de Deus e mediador da graça de Deus.

 

Creio que vários temas principais já foram tratados acima nos propósitos. Agora gostaria de escrever mais detalhadamente sobre as advertências e sobre o título de Jesus como Sumo Sacerdote.

 

  • Apostasia

 

O autor do livro escreve sobre algo inédito, um tema bem polêmico e complicado que se chama apostasia.

De acordo com o dicionário online de língua portuguesa apostasia significa “ a ação de renegar algo, normalmente relacionado com a renúncia de uma religião ou da fé religiosa.”  https://www.significados.com.br/apostasia/

Essa palavra é usada no livro de Hebreus 3:12 “ para se apartar do Deus vivo”, e vem da palavra grega aphistemi, que significa levar a revolta, fazer desviar-se, retirar-se, apostatar.

O tema é complicado porque diz respeito a segurança do crente com relação a salvação. Resumidamente, aqui existem duas correntes teológicas: uma que crê que uma vez salvo sempre salvo, e outra que crê que se pode perder a salvação.

De acordo com o autor do livro de Hebreus, apostasia era possível. Ou seja, é possível perder a salvação.

“4 Ora, para aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, 5 experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, 6 e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento] pois para si mesmos estão crucificando de novo o Filho de Deus, sujeitando-o à desonra pública.” Hebreus 6:4-6

 

“26 Se continuarmos a pecar deliberadamente depois que recebemos o conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados, 27 mas tão-somente uma terrível expectativa de juízo e de fogo intenso que consumirá os inimigos de Deus. 28 Quem rejeitava a Lei de Moisés morria sem misericórdia pelo depoimento de duas ou três testemunhas. 29 Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça?” Hebreus 10:26-29

 

Primeiramente, preciso é deixar claro que o autor considerava os destinatários da carta irmãos em Cristo, ou seja, pessoas cristãs.

O autor para explicar sobre a apostasia cristã usa como exemplo a peregrinação do povo de Deus no deserto, que devido a rebeldia e murmuração foram impedidos de entrar na terra prometida.

Além disso, o autor em sua maneira de expressar deixa claro que a incredulidade se manifesta passo a passo até o seu ponto máximo. Primeiro começa em forma de rebeldia, depois estagnação na busca a Deus, e finalmente apostasia.

O autor deixa claro que rejeitar a Jesus é o mesmo que rejeitar o Deus vivo do Velho Testamento. Se não há vida sem Cristo, tampouco salvação. Logo, a rejeição a Jesus Cristo significa rejeitar a vida eterna.

“25 Eu lhes afirmo que está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e aqueles que a ouvirem, viverão. 26 Pois, da mesma forma como o Pai tem vida em si mesmo, ele concedeu ao Filho ter vida em si mesmo.” João 5:25-28

“57 Da mesma forma como o Pai que vive me enviou e eu vivo por causa do Pai, assim aquele que se alimenta de mim viverá por minha causa.” João 6:57

 

Além disso, o autor associa a apostasia com o juízo de Deus, no qual, Deus julgará a todos.

“6 Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que é jogado fora e seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados.” João 15:6

“10 O machado já está posto à raiz das árvores, e toda árvore que não der bom fruto será cortada e lançada ao fogo.” Mateus 3:10

“19 Toda árvore que não produz bons frutos é cortada e lançada ao fogo.” Mateus 7:19

“30 Deixem que cresçam juntos até a colheita. Então direi aos encarregados da colheita: Juntem primeiro o joio e amarrem-no em feixes para ser queimado; depois juntem o trigo e guardem-no no meu celeiro’”.” Mateus 13:30

“11 e a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre. Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite”.” Apocalipse 14:11

 

Agora vejamos em detalhes as interpretações sobre essas advertências:

 

  • Interpretação arminiana normal: creem na apostasia, e que é possível a restauração de uma pessoa apostatada.

 

  • Interpretação arminiana radical: dizem que apostasia é possível, e que é impossível a restauração de uma pessoa apostatada.

 

  • Interpretação calvinista franca: dizem que as advertências escritas no livro de Hebreus foram realizadas para pessoas que não eram cristas, que havia sido apenas iluminada e não regenerada.

 

  • Interpretação calvinista modificada: dizem que é possível a regeneração das pessoas que foram apenas iluminadas na fé e que caíram desse nível.

 

  • Interpretação calvinista hipotética: dizem que a advertência sobre a apostasia foi realizada hipoteticamente para assustar os crentes destinatários.

 

  • Interpretação calvinista (muitas vantagens): dizem que a advertência sobre apostasia esta dirigida aos filhos de crentes que foram criados na igreja, mas que se rebelam na juventude.

 

  • Interpretação arminiana-calvinista (teoria dos poucos apóstatas): dizem que a advertência sobre apostasia está dirigida a um grupo de pessoas, tais como Judas Iscariotes, que traiu a Jesus.

 

  • Interpretação do paradoxo: os teólogos dessa corrente dizem que tanto a apostasia como a segurança do crente são reais, as quais são impossíveis para os cristãos harmonizar, sendo um dos mistérios de Deus a ser revelado no futuro.

 

 

Qual seria a base do ensinamento da apostasia no livro de Hebreus?

 

Alguns teólogos entendem que o autor do livro fundamentou a doutrina da apostasia através da leitura de Números 15:22-31

“22 “Mas se vocês pecarem e deixarem de cumprir todos esses mandamentos 23 — tudo o que o Senhor lhes ordenou por meio de Moisés, desde o dia em que o ordenou e para todas as suas gerações — 24 e se isso for feito sem intenção e não for do conhecimento da comunidade, toda a comunidade terá que oferecer um novilho para o holocausto de aroma agradável ao Senhor. Também apresentarão com sua oferta de cereal uma oferta derramada, conforme as prescrições, e um bode como oferta pelo pecado. 25 O sacerdote fará propiciação por toda a comunidade de Israel, e eles serão perdoados, pois o seu pecado não foi intencional e eles trouxeram ao Senhor uma oferta preparada no fogo e uma oferta pelo pecado. 26 A comunidade de Israel toda e os estrangeiros residentes entre eles serão perdoados, porque todo o povo esteve envolvido num pecado involuntário. 27 “Se, contudo, apenas uma pessoa pecar sem intenção, ela terá que trazer uma cabra de um ano como oferta pelo pecado. 28 O sacerdote fará propiciação pela pessoa que pecar, cometendo uma falta involuntária perante o Senhor, e ela será perdoada. 29 Somente uma lei haverá para todo aquele que pecar sem intenção, seja ele israelita de nascimento, seja estrangeiro residente.

30 “Mas todo aquele que pecar com atitude desafiadora, seja natural da terra, seja estrangeiro residente, insulta o Senhor, e será eliminado do meio do seu povo. 31 Por ter desprezado a palavra do Senhor e quebrado os seus mandamentos, terá que ser eliminado; sua culpa estará sobre ele”.” Números 15:22-31

 

Bom, resumidamente quero explicar que Deus criou as leis para o povo de Israel, como também estabeleceu a forma e o local de adoração. E toda lei foi transmitida ao povo através de Moisés. Moisés foi um mediador entre Deus e o povo de Israel.

O conceito de pecado foi estabelecido e também foi criada a maneira de expiação e perdão de pecados através de sacrifícios e ofertas a Deus.

Essa parte de Números explica sobre a expiação de pecados coletivo e individuais, cometidos por ignorância, ou involuntariamente. Poderiam ser pecados de omissão ou comissão.

No versículo 30 diz que a pessoa que comete pecado atrevidamente, ou com atitude desafiadora será eliminada. Ou seja, a doutrina judaica tradicionalmente creia que os pecados realizados voluntariamente contra a lei não poderiam ser expiados.

Portanto, se crê que o autor de hebreus quando escreveu sobre apostasia se fundamentou na lei, especificadamente nesses versículos do livro de Números. E também seguiu a maioria dos rabinos e suas interpretações sobre a lei.

 

Qual seria o pecado que levaria a apostasia?

 

O autor não diz qual seria o tipo de pecado, mas deixa claro que seria rejeição a Jesus Cristo como salvador, abandono do cristianismo, voltando-se para outro tipo de religião.

 

Por que devemos considerar a doutrina da apostasia um paradoxo?

 

Porque existem alguns textos do Novo Testamento que expressam pensamentos diferentes do autor do livro de Hebreus.

Como exemplo citamos o livro de 1 João, onde não há distinção entre pecados.

“2 Meus filhinhos, escrevo-lhes estas coisas para que vocês não pequem. Se, porém, alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. 2 Ele é a propiciação pelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos[a] pecados de todo o mundo.” 1 João 2:1-2

No livro de Mateus temos ensinamento de Jesus de que devemos perdoar quantas vezes seja necessário:

“21 Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?” 22 Jesus respondeu: “Eu lhe digo: Não até sete, mas até setenta vezes sete[a].” Mateus 18:21-22

E também pela doutrina calvinista sobre predestinação que é fundamentada em alguns versículos escritos pelo apóstolo Paulo, vejamos:

“29 Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” Romanos 8:29

Esse paradoxo em realidade discute duas doutrinas: a predestinação x livre arbítrio. Geralmente cada igreja segue uma linha de doutrina.

Eu particularmente concordo com a doutrina do livre arbítrio, e creio que é possível apostasia.

 

  • Jesus é Sumo Sacerdote

 

Outro tema principal dessa carta que creio seria bom escrever mais detalhadamente é sobre Jesus como sumo Sacerdote. Aqui no livro de Hebreus o autor argumenta em favor do sacerdócio de Jesus, e explica porque o mesmo deve ser considerado superior ao sacerdócio levítico.

Para tanto, é necessário esclarecer que no Antigo Testamento Deus estabeleceu uma forma de adoração. Essa maneira de adorar deveria ser realizada no Tabernáculo, através de sacrifícios e intermediação de um sacerdote.

Os sacerdotes deveriam ser da tribo de Levi. Deveria ser uma pessoa que se identificasse com o povo, que fosse mediador e intercessor dos pecadores mediante Deus.

E no livro de Hebreus o autor argumenta sobre o sacerdócio de Jesus, e explica que Jesus preenchia todos os requisitos para ser sacerdote, vejamos versículos bíblicos a respeito:

“17 Por essa razão era necessário que ele se tornasse semelhante a seus irmãos em todos os aspectos, para se tornar sumo sacerdote misericordioso e fiel com relação a Deus, e fazer propiciação[a] pelos pecados do povo.” Hebreus 2:17

“15 pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.” Hebreus 4:15

“5 Todo sumo sacerdote é escolhido dentre os homens e designado para representá-los em questões relacionadas com Deus e apresentar ofertas e sacrifícios pelos pecados.” Hebreus 5:1

 

A única coisa diferente era que Jesus é da Tribo de Judá, e para ser sacerdote a pessoa deveria ser descendente da tribo de Levi.

Portanto, o autor explica que Jesus é Sumo Sacerdote, mas de outra ordem. Não é levítico, mas provém da ordem de Melquisedeque.

O autor extrai seu ensinamento do seguinte texto do Velho Testamento:

“4 O Senhor jurou e não se arrependerá: “Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque”.” Salmos 110:4

 

Vejamos então quem é o Sumo Sacerdote Melquisedeque:

“17 Voltando Abrão da vitória sobre Quedorlaomer e sobre os reis que a ele se haviam aliado, o rei de Sodoma foi ao seu encontro no vale de Savé, isto é, o vale do Rei. 18 Então Melquisedeque, rei de Salém[a] e sacerdote do Deus Altíssimo, trouxe pão e vinho 19 e abençoou Abrão, dizendo: “Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo,

Criador[b] dos céus e da terra. 20 E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou seus inimigos em suas mãos”. E Abrão lhe deu o dízimo de tudo.”  Gênesis 14:17-20

 

Melquisedeque era sacerdote e Rei ao mesmo tempo. Era contemporâneo de Abrão, quem lhe entregou o dízimo, conforme descrito no livro de Gênesis.

O Sacerdócio de Jesus se assemelha ao de Melquisedeque pelo seguinte:

  • A ordem de Melquisedeque forma uma classe distinta de sacerdotes (poder de uma vida indestrutível)

“15 O que acabamos de dizer fica ainda mais claro quando aparece outro sacerdote semelhante a Melquisedeque, 16 alguém que se tornou sacerdote, não por regras relativas à linhagem, mas segundo o poder de uma vida indestrutível.” Hebreus 7:15-16

  • Se trata de um sacerdócio eterno

 

  • Se trata de um sacerdócio Real, porque se trata de Reis

 

  • Se trata de um sacerdócio imutável, porque não acontece mudança de sacerdote, não haverá outro depois de Cristo, Jesus é o último

 

Vejamos agora porque o sacerdócio de Jesus é superior:

 

  • Porque Jesus entrou no verdadeiro céu

 

Os sacerdotes levíticos estavam autorizados a entrar no lugar santíssimo dentro do templo existente aqui na terra. Porém Jesus, depois de sua morte e ressurreição, entrou no céu verdadeiro.

O livro de Hebreus ensina que o antigo tabernáculo e templo se tratavam de sombras e símbolos de realidades espirituais invisíveis que estão no verdadeiro céu.

Jesus chegou até a presença de Deus, coisa que nenhum sacerdote levítico foi capaz de fazer.

“14 Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos,” Hebreus 4:14

“8 O mais importante do que estamos tratando é que temos um sumo sacerdote como esse, o qual se assentou à direita do trono da Majestade nos céus 2 e serve no santuário, no verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem.” Hebreus 8:1-2

 

  • Jesus ofereceu sua própria vida como sacrifício, e os outros sacerdotes ofereciam sacrifícios simbólicos

“23 Portanto, era necessário que as cópias das coisas que estão nos céus fossem purificadas com esses sacrifícios, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios superiores. 24 Pois Cristo não entrou em santuário feito por homens, uma simples representação do verdadeiro; ele entrou nos céus, para agora se apresentar diante de Deus em nosso favor; 25 não, porém, para se oferecer repetidas vezes, à semelhança do sumo sacerdote que entra no Santo dos Santos todos os anos, com sangue alheio. 26 Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes, desde o começo do mundo. Mas agora ele apareceu uma vez por todas no fim dos tempos, para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo.” Hebreus 9:23-26

 

  • O sacrifício oferecido por Jesus foi final

“25 não, porém, para se oferecer repetidas vezes, à semelhança do sumo sacerdote que entra no Santo dos Santos todos os anos, com sangue alheio. 26 Se assim fosse, Cristo precisaria sofrer muitas vezes, desde o começo do mundo. Mas agora ele apareceu uma vez por todas no fim dos tempos, para aniquilar o pecado mediante o sacrifício de si mesmo.” Hebreus 9:25-26

 

  • A expiação concedida pelo sacrifício de Jesus é eficaz

 

“27 Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, 28 assim também Cristo foi oferecido em sacrifício uma única vez, para tirar os pecados de muitos; e aparecerá segunda vez, não para tirar o pecado, mas para trazer salvação aos que o aguardam.” Hebreus 9:27-28

 

  • Jesus é superior porque é o Filho de Deus

 

“5 Todo sumo sacerdote é escolhido dentre os homens e designado para representá-los em questões relacionadas com Deus e apresentar ofertas e sacrifícios pelos pecados.” Hebreus 5:1

 

“28 Pois a Lei constitui sumos sacerdotes a homens que têm fraquezas; mas o juramento, que veio depois da Lei, constitui o Filho perfeito para sempre.” Hebreus 7:28

 

  • Jesus veio inaugurar uma Nova Aliança, um Novo Pacto

 

“6 Agora, porém, o ministério que Jesus recebeu é superior ao deles, assim como também a aliança da qual ele é mediador é superior à antiga, sendo baseada em promessas superiores.” Hebreus 8:6 

“13 Chamando “nova” esta aliança, ele tornou antiquada a primeira; e o que se torna antiquado e envelhecido está a ponto de desaparecer.” Hebreus 8:13

 

  • Jesus intercede por nós como sumo sacerdote, em um tabernáculo celestial

“11 Quando Cristo veio como sumo sacerdote dos benefícios agora presentes[b], ele adentrou o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito pelo homem, isto é, não pertencente a esta criação. 12 Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, de uma vez por todas, e obteve eterna redenção.” Hebreus 9:11-12

A ideia, portanto, do autor do livro é convencer os destinatários da carta a não abandonarem a Cristo, porque ele é superior e melhor que os sacerdotes levíticos.

 

 

Bom, espero que tenha ajudado a vcs a conhecerem um pouco mais sobre o livro de Hebreus.

 

Estudo realizado após a leitura dos seguintes livros: “ O novo testamento interpretado versículo por versículo, autor R.N. Champlin, editora Hagnos, vol. 5. E também através da leitura do estudo “ Introduccion a La bíblia, Estúdio #52 – El Nuevo Testamento”, autor Stuart Allsop, texto em espanhol, livro “Hebreos”. E também do livro “Hebreus, introdução e comentario”,  autor Donald Guthrie, editora Mundo Cristao, serie Cultura bíblica.

 

 

Se de alguma maneira esse post foi benção para seus planos e sua edificação pessoal, você poderá agradecer fazendo coisas bem simples:

 

 

 

 

 

Muito obrigada por visitar o blog!!!

 

Saludos,

 

Emiliana Sábio

GuardarGuardar

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Prove you aren't a robot *