Estudo Bíblico livro de Apocalipse: análise sobre o capítulo primeiro

Olá amigos(as),

 

Hoje tenho sentimento de missão cumprida!!!! Dia 04/04/2019 publiquei o primeiro estudo bíblico sobre o livro de Apocalipse!!! O último livro do Novo Testamento depois de haver escrito toda uma série de 34 posts, sobre os 27 livros do NT. Um desafio que começou com o meu livro preferido do Novo Testamento em 05/03/2013, quando publiquei o estudo sobre o livro de Efésios.

 

Foram aproximadamente 6 anos estudando e investigando a bíblia, vários livros e estudos para oferecer a cada um de meus leitores estudos bíblicos confiáveis e de alta qualidade, de maneira totalmente grátis, bastando apenas um clique para conhecer mais dessa fonte inesgotável de vida, que é a Palavra de Deus.

 

Portanto, hoje quero dizer que nós não dependemos de ninguém para realizar os nossos sonhos. Melhor explicando, vc não precisa do seu pai, da sua mãe, ou de quem quer que seja para ver seus sonhos realizados. Na verdade o único impedimento  para que nossas metas se realizem, somos nós mesmos. Podemos todas as coisas com a ajuda de Deus (Filipenses 4:13)!

 

Minha maior recompensa é ler os comentários nos estudos bíblicos de todos leitores desconhecidos, dizendo que tem sido uma benção ler tudo o que eu tenho publicado.

 

Ainda me falta mais posts sobre o livro de Apocalipse que estou preparando, mas com o post do dia 04/04 alcancei a meta que havia fixado. Daqui pra frente tudo é lucro!!!

 

VAMOS POR MAIS COM A AJUDA DE DEUS!!!

 

Hoje vou compartilhar com vcs a segunda parte do estudo bíblico sobre o livro do Apocalipse.

 

Já publiquei a primeira parte sobre autoria, data em que foi escrito, proveniência, destinatários, contexto histórico quando foi escrito o livro, versículo chave, gênero literário, maneiras de interpretação e por último, conceitos de arranjos. Para ler esse post clique aqui

 

Hoje abordaremos uma breve análise sobre o capítulo primeiro do livro de Apocalipse que na minha opinião é um capítulo riquíssimo em aprendizado, um dos meus preferidos!

 

Espero que seja benção na sua vida e que venha abrir sua mente para ver a Jesus de uma maneira diferente!

 

Visão geral sobre o primeiro capítulo do livro de Apocalipse: análise

 

Agora passemos para uma breve análise sobre o primeiro capítulo do livro de Apocalipse.

 

 

 

  • Prólogo (capítulo 1:1-3)

 

Primeiro quero comentar que em muitas seitas as revelações são seladas e dirigidas apenas a um seleto grupo de pessoas que estariam em condições de ler a profecia.

 

Porém, no livro de apocalipse a revelação é totalmente aberta, dirigida a todos os cristãos, sem distinção de raça, cor, sabedoria, gênero e outros, com única exceção do texto que está em Apocalipse 10:4, parte que foi selada.

 

Vejamos que Ap 22:10 a ordem é que o livro não seja selado, para que as pessoas tenham acesso ao mesmo, devido a urgência em sua mensagem.

 

“10 Então me disse: “Não sele as palavras da profecia deste livro, pois o tempo está próximo.” Apocalipse 22:10 (NVI-PT)

 

Toda essa informação nos leva a conclusão de que Deus cumpre suas promessas, assim como está escrito em Amós 3:7, vejamos:

 

“ 7 Certamente o Senhor, o Soberano, não faz coisa alguma sem revelar o seu plano

    aos seus servos, os profetas.” Amós 3:7 (NVI-PT)

 

Além disso, nesses três primeiros versículos o autor deixa bem claro a tríplice composição de uma revelação:

  • Cristo

Revelação vinda da parte de Deus através de Jesus, o Cristo.

 

  • Anjo

Visões mediadas por um anjo, ser sobrenatural, o qual fez uma mediação entre Deus e o vidente (profeta), como vemos também em Dan 8:15 e 16, Dan 9:21, Daniel 10:10, Zacarias 1:19.

 

  • Vidente

Nesse caso é a pessoa do profeta, o autor do livro, um ser humano.

 

Por último, o livro de apocalipse possui 7 bem-aventuranças e a primeira está bem no começo do livro, aproveitemos para saber quais são:

 

  1. Ap 1:3 – promessa de bem-estar espiritual aos leitores do livro de apocalipse

 

Apocalipse 1:3 (NVI-PT)

3 Feliz aquele que lê as palavras desta profecia e felizes aqueles que ouvem e guardam o que nela está escrito, porque o tempo está próximo.

 

 

  1. Ap 14:3 – promessa de descanso aos que morrerem crendo no Senhor Jesus

 

Apocalipse 14:13 (NVI-PT)

13 Então ouvi uma voz dos céus dizendo: “Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante”. Diz o Espírito: “Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão”.

 

  1. Ap 16:15 – promessa de bem-aventurança para os que permanecem fieis a Jesus

 

Apocalipse 16:15  (NVI-PT)

15 “Eis que venho como ladrão! Feliz aquele que permanece vigilante e conserva consigo as suas vestes, para que não ande nu e não seja vista a sua vergonha.”

 

  1. Ap 19:9 – promessa de bem-aventurança aos que forem convidados a celebrar as bodas entre a igreja e o Cordeiro (Jesus)

 

Apocalipse 19:9 (NVI-PT)

9 E o anjo me disse: “Escreva: Felizes os convidados para o banquete do casamento do Cordeiro!” E acrescentou: “Estas são as palavras verdadeiras de Deus”.

 

  1. Ap 20:6 – bem-aventurados os que fizeram parte da primeira ressurreição

 

Apocalipse 20:6 (NVI-PT)

6 Felizes e santos os que participam da primeira ressurreição! A segunda morte não tem poder sobre eles; serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante mil anos.

 

  1. Ap 22:7 – promessa de bem-aventurança para as pessoas que guardarem e obedecerem as profecias desse livro

 

Apocalipse 22:7 (NVI-PT)

7 “Eis que venho em breve! Feliz é aquele que guarda as palavras da profecia deste livro”.

 

 

  1. Ap 22:14 – promessa de vida eterna

 

Apocalipse 22:14 (NVI-PT)

14 “Felizes os que lavam as suas vestes, e assim têm direito à árvore da vida e podem entrar na cidade pelas portas.

 

 

Creio que ficou bem claro a análise sobre o prólogo, avancemos!

 

  • Introdução (capítulo 1:4-8)

 

Nesse trecho o autor do livro destaca o verdadeiro tema do livro, que é a pessoa de Jesus Cristo.

 

Vejamos alguns títulos dados no livro sobre Jesus e que são importantes para entendermos as revelações:

 

  • Que era, é e que há de vir: (Eu sou o Alfa e o Ômega, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo poderoso)

 

Nesse texto temos duas declarações sobre a eternidade, primeiro a respeito de Jesus e segundo sobre Deus. A primeira no versículo 4 e a segunda no versículo 8. Aqui fica claro que tanto Deus como Jesus são eternos.

 

No versículo 4 o autor declara a eternidade de Jesus, identificando-o a Deus. Essa declaração também demonstra sua imutabilidade.

 

“3 Sem pai, sem mãe, sem genealogia, sem princípio de dias nem fim de vida, feito semelhante ao Filho de Deus, ele permanece sacerdote para sempre.” Hebreus 7:3 (NVI-PT)

 

No versículo 8 o autor declara a eternidade de Deus, e agrega também o título de Todo Poderoso. O autor deixa bem claro que Deus é a fonte de toda existência, como também é soberano sobre todos.

 

“6 para nós, porém, há um único Deus, o Pai, de quem vêm todas as coisas e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas e por meio de quem vivemos.” 1 Coríntios 8:6 (NVI-PT)

   

“6 “Assim diz o Senhor, o rei de Israel, o seu redentor, o Senhor dos Exércitos:

Eu sou o primeiro e eu sou o último; além de mim não há Deus.” Isaías 44:6 (NVI-PT)

 

O título Todo Poderoso aparece no livro de Apocalipse por 8 vezes, vejamos:

 

Apocalipse 1:8

 

Apocalipse 4:8

 

Apocalipse 11:17

 

Apocalipse 15:3

 

Apocalipse 16:7

 

Apocalipse 16:14

 

Apocalipse 19:15

 

Apocalipse 21:22

 

 

De todas maneiras, creio que o texto deixa bastante claro a doutrina da Trindade, e que Jesus e Deus compartem a mesma natureza.

 

  • Jesus é salvador

 

Outro título usado para descrever a Jesus,  é salvador. Jesus por seu grande amor nos salva dos nossos pecados, e através dessa salvação, somos feitos filhos de Deus. Portanto, salvação está intimamente ligada com filiação. Isso significa que através do sangue derramado por Jesus, temos contato com o Espirito Santo de Deus, o qual passa habitar em nós, e nos transforma a cada dia.

 

  • Jesus é Cristo (Messias)

 

As profecias a respeito do Messias diziam que Ele seria Emmanuel, que significa Deus conosco, ou seja, Deus encarnado como homem. Portanto, o termo Cristo subentende a “doutrina da encarnação” .  Aqui o profeta deixa bem claro a humanidade de Jesus, combinada com sua divindade.

 

  • Jesus é a testemunha fiel

 

Aqui podemos dizer que Jesus é testemunha de tudo o que aprendeu de Deus enquanto existia na eternidade antes de sua encarnação, e veio a Terra para transmitir aos homens. Também poderíamos supor que Jesus é a própria revelação de Deus, sendo a mensagem de Deus aos homens.

 

  • Jesus é o primogênito dos mortos

 

Aqui fica claro que Jesus é o primeiro ser humano a ressuscitar para a eternidade. Isso significa que outros também serão ressuscitados depois de Jesus. 

“18 Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja, é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a supremacia.”  Colossenses 1:18 (NVI-PT)

 

“20 Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias[a] dentre aqueles que dormiram.”  1 Coríntios 15:20 (NVI-PT)

 

  • Jesus é soberano

 

Aqui Jesus é descrito como Senhor de nações e governos de essa Terra. Cristo é comparado a um imperador máximo, com domínio sobre toda Terra, diferentemente dos imperadores romanos, os quais se intitulavam deuses.

 

“4 e que mediante o Espírito[a] de santidade foi declarado Filho de Deus com poder, pela sua ressurreição dentre os mortos: Jesus Cristo, nosso Senhor.” Romanos 1:4 (NVI-PT)

 

Creio que os títulos usados para descrever sobre Jesus estão bem claros, passemos agora a analisar outros tópicos do texto.

 

 

 

  • SETE ESPIRITOS QUE ESTAO DIANTE DO SEU TRONO

 

Agora vou abordar uma parte do texto que é bastante complicada, mas deixarei algumas hipóteses de como interpretar a visão do profeta, que diz respeito aos sete espíritos que estão diante do trono

 

“ 4 João às sete igrejas da província da Ásia: A vocês, graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, dos sete espíritos[a] que estão diante do seu trono,” Apocalipse 1:4 (NVI-PT)

 

Primeiramente quero deixar claro que não existe acordo entre os intérpretes do livro de Apocalipse sobre quem seria esses sete espíritos, mas apenas suposições. Vejamos o que dizem os intérpretes sobre o tema:

 

Seres espirituais que habitam em outros planetas: de acordo com as teorias astrais e angelologias da época, alguns intérpretes creem que seriam seres espirituais, os quais viveriam em outros planetas, planetas que os astrólogos da época poderiam ver a olho nu. Essa interpretação não é muito bem-sucedida, porque colocaria o autor do livro como influenciado por seitas mundanas.

 

Sete arcanjos dos livros judaicos: de acordo com a literatura judaica da época, alguns judeus acreditavam que anjos fossem estrelas, e que desde os cosmos influenciavam a vida terrena, conforme está escrito nos livros judaicos: Eze. 9:2, Tobias 12:15, Enoque , Testamento de levi. De acordo com o profeta em apocalipse 3:1 esses seres seriam um tipo de agente de Jesus, que o ajudarão em sua múltipla tarefa. Essa seria uma das melhores interpretações ao tema, pois leva em consideração as crenças judaicas da época em que o livro foi escrito, e que supomos que o autor tenha tido acesso.

 

Seriam uma alusão a sete aspectos do Espirito Santo, através da análise do trecho escrito em Isaias 11:2, alguns interpretes supõem que os setes espíritos descritos no versículo 4 do capitulo 1 seriam sete aspectos do Espirito Santo.  Apesar de ser uma linda teoria, seria como modernizar o pensamento do autor, vez que em sua época a teoria da Trindade, todavia não havia sido desenvolvida como vemos hoje.

 

Seriam seres celestiais, diferentes dos arcanjos, os quais deveriam ser reconhecidos como seres celestiais, tal qual, os seres com 4 olhos, e os vinte e quatro anciãos. Essa seria uma boa interpretação, mas não explica o que seriam esses seres, ou o que eles são em realidade.

 

Seria uma alusão simbólica ao próprio Jesus, o significado seria que Jesus brilha através dos sete espíritos de Deus, como uma espécie de alter ego de Jesus. Assim como temos alusões aos sete olhos do Cordeiro, essa seria mais uma forma de falar sobre Jesus. Essa também é uma boa interpretação, mas não muito convincente, já que se estes seres se referiam ao próprio Jesus, não haveria necessidade de uma saudação a parte deles.

 

 

Creio que ficou bastante claro a explicação, vamos agora estudar outros símbolos de realidades espirituais.

 

 

  • SIMBOLOS DE REALIDADES ESPIRITUAIS – 7 ESTRELAS X 7 CANDEEIROS

 

Antes de começar essa parte quero transcrever o texto bíblico para que vc possa ler e compreender melhor a explicação seguinte:

 

“ 12 Voltei-me para ver quem falava comigo. Voltando-me, vi sete candelabros de ouro13 e entre os candelabros alguém “semelhante a um filho de homem”[d], com uma veste que chegava aos seus pés e um cinturão de ouro ao redor do peito. 14 Sua cabeça e seus cabelos eram brancos como a lã, tão brancos quanto a neve, e seus olhos eram como chama de fogo. 15 Seus pés eram como o bronze numa fornalha ardente e sua voz como o som de muitas águas. 16 Tinha em sua mão direita sete estrelas, e da sua boca saía uma espada afiada de dois gumes. Sua face era como o sol quando brilha em todo o seu fulgor.” Apocalipse 1:12-16

 

 

Antes de analisar o relato sobre a visão do Filho do Homem, devemos analisar alguns símbolos de realidades espirituais relatadas pelo autor do livro:

 

  • 7 estrelas= 7 anjos

“20 Este é o mistério das sete estrelas que você viu em minha mão direita e dos sete candelabros: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candelabros são as sete igrejas.” Apocalipse 1:20  (NVI-PT)

 

Primeiramente quero esclarecer que na literatura judaica existe a ideia de que cada nação conta com um anjo guardião, conforme lemos em Daniel, confira-se:

 

Daniel 10:13-21  (NVI-PT)

“13 Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu durante vinte e um dias. Então Miguel, um dos príncipes supremos, veio em minha ajuda, pois eu fui impedido de continuar ali com os reis da Pérsia. 14 Agora vim explicar-lhe o que acontecerá ao seu povo no futuro, pois a visão se refere a uma época futura”.

15 Quando ele me disse isso, prostrei-me, rosto em terra, sem conseguir falar. 16 Então um ser que parecia homem[a] tocou nos meus lábios, e eu abri a minha boca e comecei a falar. Eu disse àquele que estava em pé diante de mim: Estou angustiado por causa da visão, meu senhor, e quase desfaleço. 17 Como posso eu, teu servo, conversar contigo, meu senhor? Minhas forças se foram, e mal posso respirar.

18 O ser que parecia homem tocou em mim outra vez e me deu forças. 19 Ele disse: “Não tenha medo, você, que é muito amado. Que a paz seja com você! Seja forte! Seja forte!”

Ditas essas palavras, senti-me fortalecido e disse: Fala, meu senhor, visto que me deste forças.

20 Então ele me disse: “Você sabe por que vim? Tenho que voltar para lutar contra o príncipe da Pérsia e, logo que eu for, chegará o príncipe da Grécia; 21 mas antes lhe revelarei o que está escrito no Livro da Verdade. E nessa luta ninguém me ajuda contra eles, senão Miguel, o príncipe de vocês,”

 

Aqui fica claro que os anjos guardiões e as nações possuem o mesmo destino, ou seja, o que acontece com o anjo acontece com a nação.

 

Portanto, a interpretação primária seria de que assim como as nações possuem um anjo guardião, a igreja também teria um anjo guardião.

 

Alguns intérpretes dizem que esses anjos seriam os pastores humanos da igreja, mas essa não seria a interpretação primária do texto, já que o autor escreve sobre seres sobrenaturais, poderes angelicais associados a igreja.

 

Vejamos agora como podemos considerar a natureza e seu espectro de ação dos sete anjos e as sete estrelas:

  • Poderíamos considerar que esses sete anjos seriam em realidade os sete espíritos relatados no versículo 1:4, que estão diante do trono de Deus. Em esse caso, esses anjos receberiam informação e missão diretamente de Deus e de alguma maneira transmitiria aos homens.

 

  • Os anjos e os candeeiros de acordo com o texto estão conectados. Se trataria de anjos, os quais nao estariam relacionados aos sete espíritos do versículo 1:4. Por serem anjos caberiam aos mesmos  instruir e guiar as igrejas. Isso se daria através revelação místicas.

 

  • Os anjos são comparados a estrelas, que na astronomia são considerados corpos celestes, que emitem energia e possuem luz própria. Naquela época as estrelas já eram consideradas como guias. Logo, o autor do livro usa esse conceito para dizer que os setes anjos, são sete estrelas porque um dos seus espectros de atuação seria guiar e controlar o destino dos homens, no caso especifico, da igreja (candeeiro).

 

Eu particularmente creio que são anjos, e não estão relacionados com os sete espíritos do versículo 1:4, conforme item 2 acima.  Creio que ficou bastante claro que as sete estrelas se trata de anjos, e dispensa mais comentários.Passemos ao seguinte tópico.

 

 

  • 7 candeeiros de ouro = 7 igrejas

 

“20 Este é o mistério das sete estrelas que você viu em minha mão direita e dos sete candelabros: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candelabros são as sete igrejas.” Apocalipse 1:20 (NVI-PT)

 

Primeiramente quero esclarecer algumas coisas sobre candeeiros que está intimamente conectado com o Velho Testamento. Cumpre esclarecer que o Tabernáculo, criado por Moisés se tratava de uma sombra do que seria Jesus no Novo Testamento. Todas as coisas do Tabernáculo têm um sentido para o Novo Testamento.

 

Logo, vejamos como o Tabernáculo está conectado com o Novo Testamento (Êxodo 25-26 x Hebreus 9):

 

– Tabernáculo era dividido em 3 partes (átrio, lugar Santo, Lugar Santíssimo) o que poderia ser referido a trindade (Deus pais, Deus filho e Deus Espirito Santo).

 

– Um cordeiro deveria ser sacrificado para expiação de pecados, Jesus teve que morrer para expiação de nossos pecados, por isso, Jesus representa o Cordeiro Santo de Deus.

 

– O lugar Santo e Santíssimo era feito de madeira e revestido de ouro, e no meio existia uma vara que conectava todas a placas de madeira. As placas de madeira representam a igreja. A vara que conectava todas as placas de madeira representa o Espirito Santo que une a igreja. O ouro revestido tem a função de refletir a luz que iluminava dentro desse ambiente. Portanto, significa que a igreja deve refletir a luz de Cristo, ou seja, deve ser a luz do mundo.

 

– O candelabro de 7 hastes, representa Jesus, a luz do mundo. Conforme lemos em João 1:4. Note-se que só havia um candelabro, porque Jesus é a luz, a única luz do mundo. Por um período de tempo na história dentro do lugar Santo haviam 10 candelabros, mas depois voltou a ser somente um, conforme as instruções dadas a Moisés no livro de Êxodo. Esse candelabro deveria ser alimentado com azeite para permanecer com a luz acesa. O azeite representa o Espirito Santo. Uma interpretação secundária seria que o candelabro representaria a igreja, na medida que depois da ascensão de Jesus, a igreja tem a obrigação de ser luz do mundo. Portanto, o simbolismo principal dessa peça no Tabernáculo seria de iluminação espiritual.

 

– Altar de incenso, onde era derramado o sangue, representa as orações realizadas em Nome de Jesus, já que Jesus é o único mediador entre Deus e o homem.

 

– a mesa com os pães da preposição, representa que Jesus é o pão da vida, recebemos vida eterna através de Jesus e ao mesmo tempo Jesus é nossa fonte de sustento, porque nós devemos nos alimentar com sua palavra

 

– o véu entre o lugar Santo e Santíssimo representava a separação que existia entre Deus e o homem, no Velho Testamento. Com a morte de Jesus o véu foi rasgado e temos livre acesso a Deus através de Jesus.

 

Poderia escrever mil outras coisas, mas creio que essas são suficientes para vcs entenderem o que quero explicar sobre a visão dos sete candeeiros e as sete igrejas.

 

Depois dessa breve e resumida explicação sobre o Tabernáculo, vejamos o significado simbólico dos candeeiros no texto apocalíptico:

 

  • A igreja é luz do mundo : a igreja deve refletir a glória de Jesus, cada pessoa individualmente deve ser considerado como luz do mundo.

 

“14 “Vocês são a luz do mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. 15 E, também, ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Ao contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa. 16 Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.”Mateus 5:14-16 (NVI-PT)

 

 

  • A igreja é iluminada pelo Espirito Santo: assim como os candeeiros somente podem ser acesos, se possuem azeite, o mesmo acontece com a igreja. A igreja para ter luz, precisa do azeite da unção do Espirito Santo, para iluminar.

 

“17 Peço que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o glorioso Pai, lhes dê espírito[a] de sabedoria e de revelação, no pleno conhecimento dele. 18 Oro também para que os olhos do coração de vocês sejam iluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas da gloriosa herança dele nos santos” Efésios 1:17-18 (NVI-PT)

 

 

  • O objetivo da igreja é oferecer luz ao mundo: a igreja deve manter sua luz acesa para que possa iluminar o mundo, para que possam ser um exemplo a outros, e ajudar que outros também sigam o caminho com Cristo.

 

“15 para que venham a tornar-se puros e irrepreensíveis, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração corrompida e depravada, na qual vocês brilham como estrelas no universo, 16 retendo firmemente a palavra[a] da vida. Assim, no dia de Cristo eu me orgulharei de não ter corrido nem me esforçado inutilmente.” Filipenses 2:15-16 (NVI-PT)

 

  • O ouro do candeeiro representa o autêntico caráter do cristão: na bíblia o ouro representa algo valioso, algo que terá uma duração incontável, algo que não se corrompe. Portanto, podemos interpretar o fato do candeeiro ser descrito como de ouro, que a igreja deve ter um caráter puro e incorruptível. Também podemos interpretar que a igreja tem alto valor para Deus, é valiosa por ser recipiente do Espirito Santo de Deus.

 

“18 Dou-lhe este conselho: Compre de mim ouro refinado no fogo, e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar.” Apocalipse 3:18 (NVI-PT)

 

 

Creio que ficou bastante claro a interpretação sobre os candeeiros, o que dispensa maiores comentários. Creio que cada uma das interpretações são válidas para entender melhor a visão.

 

Agora vamos analisar os versículo de 9-20 do capítulo 1 do livro de Apocalipse.

 

 

 

 

  • VISAO SOBRE O FILHO DO HOMEM“ As coisas que que tens visto “ (capítulo 1: 9-20)

 

Em minha opinião essa passagem é muito linda e edificante. Esse texto vem romper e quebrar paradigmas sobre Jesus.

 

Desde tempos remotos foi criado uma tradição de várias imagens de Jesus morto na cruz. Inclusive muitas pessoas que se dizem cristãos se adornam com joias em formato de cruz com Jesus pregado na cruz.

 

Cumpre esclarecer que a cruz é um símbolo romano que era conhecido como uma forma de humilhar e degradar as pessoas que morriam na cruz. Jesus ao morrer na cruz converteu esse símbolo (cruz) em algo poderoso, como símbolo de SALVACAO, FE E ESPERANCA.

 

Mas esse texto, nos recorda que Jesus não pode ser lembrado apenas como um sofredor que está pregado em uma cruz! JESUS RESSUCITOU E VIVO ESTA!!!

 

Por isso, para mim esse texto é maravilhoso porque retrata JESUS VIVO E RESSURRETO, CHEIO DE PODER E GLORIA COMO ELE REALMENTE E. A cruz sim é um símbolo importante para o cristão, mas a ressurreição de Jesus é tão importante quanto!

 

Portanto, para romper paradigmas e apresentar a Jesus como Ele realmente é, vejamos a descrição de Jesus no livro de apocalipse(capítulo 1:13-18);

 

 

FILHO DO HOMEM– essa descrição sobre Jesus na verdade é um símbolo messiânico herdado do Velho Testamento, conforme lemos em Daniel 7:13. Esse título diz respeito a humanidade de Jesus. Que Jesus era Deus e ao mesmo tempo Homem.

 

 

“13 “Em minha visão à noite, vi alguém semelhante a um filho de homem, vindo com as nuvens dos céus. Ele se aproximou do ancião e foi conduzido à sua presença.” Daniel 7:13  (NVI-PT)

 

 

VESTIDO DE UMA ROUPA TALAR– essa descrição também se trata de um símbolo messiânico, conforme encontramos em Daniel 10:5,6. Essa roupa se tratava de uma túnica longa, que chegava até aos pés. Poderia se tratar de uma veste real, ou até mesmo uma veste sacerdotal. Em todo caso poderíamos interpretar que Jesus é Sumo Sacerdote Real, porque Jesus tanto é Rei como Sacerdote. Outros intérpretes entendem que as vestes talares diz respeito a dignidade

 

“5 Olhei para cima, e diante de mim estava um homem vestido de linho, com um cinto de ouro puríssimo na cintura. 6 Seu corpo era como berilo, o rosto como relâmpago, os olhos como tochas acesas, os braços e pernas como o reflexo do bronze polido, e a sua voz era como o som de uma multidão.” Daniel 10:5-6 (NVI-PT)

 

 

CABELOS BRANCOS COMO LãBRANCA – também poderíamos dizer que essa metáfora foi herdada do VT, especificadamente de Daniel 7:9. Geralmente a cor branca simboliza pureza, mas nesse texto creio que a melhor interpretação seria sobre o respeito aos mais velhos, dignidade das pessoas com idade avançada devido ao maior acúmulo de experiência e sabedoria.

 

9 “Enquanto eu olhava,“tronos foram colocados, e um ancião se assentou. Sua veste era branca como a neve; o cabelo era branco como a lã. Seu trono era envolto em fogo, e as rodas do trono estavam em chamas.” Daniel 7:9 (NVI-PT)

 

“27 O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, e vasculha cada parte do seu ser.

28 A bondade e a fidelidade preservam o rei; por sua bondade ele dá firmeza ao seu trono.

29 A beleza dos jovens está na sua força; a glória dos idosos, nos seus cabelos brancos.” Provérbios 20:27-30 (NVI-PT)

 

 

OLHOS COMO CHAMAS DE FOGO– essa é mais uma descrição de Jesus que possivelmente foi herdada do livro de Daniel 10:6. Essa descrição diz respeito a Ira Divina. Os olhos de Jesus podem penetrar ao mais profundo de nossa alma e examinar a cada um.

 

“6 Seu corpo era como berilo, o rosto como relâmpago, os olhos como tochas acesas, os braços e pernas como o reflexo do bronze polido, e a sua voz era como o som de uma multidão.” Daniel 10:6 (NVI-PT)

 

 

PéS SEMELHANTE AO LATãO RELUZENTE– aqui também temos mais uma descrição herdada do livro de Daniel. Nesse texto o autor não deixa claro o que seria a palavra “latão”. Mas a maioria dos intérpretes entende que se trata do metal bronze, vez que esse é citado em Daniel 10:6. Portanto, seguindo a maioria dos interpretes, devemos esclarecer que o bronze simboliza juízo de Deus, ou seja, julgamento. Jesus quando voltar por segunda vez proferirá julgamento sobre nações e sobre cada um individualmente.

 

“6 Seu corpo era como berilo, o rosto como relâmpago, os olhos como tochas acesas, os braços e pernas como o reflexo do bronze polido, e a sua voz era como o som de uma multidão.” Daniel 10:6 (NVI-PT)

 

 

VOZ COMO DE MUITAS AGUAS– se supõe também que essa metáfora foi herdada do texto de Daniel 10:6. Primeiro quero ressaltar aqui que Jesus é homem e ao mesmo tempo Deus. Essa metáfora ressalta um elemento humano que seria a “voz” e um elemento sobrenatural que seria “como de muitas aguas”. Eu particularmente creio que se refere ao volume da voz por seu aspecto humano, e pela autoridade e poder dessa voz por seu aspecto divino. Essa também tem sido a interpretação da maioria dos teólogos a respeito do tema, escrito de maneira bem reduzida para que todos entendam.

 

 

TINHA ELE NA SUA DESTRA SETE ESTRELAS–  primeiro quero salientar que as estrelas estão na mão direita de Jesus, e não estão descritas como um anel em seus dedos. Portanto, podemos interpretar que não se trata de uma joia, ou um adorno na sua mão, mas sim, possui um significado superior a isso. O fato de estar na mão está muito relacionado com o possuir, e por isso, podemos dizer que as Sete Estrelas estão sujeitas a Jesus Cristo. De acordo com o versículo 20 do capitulo 1 as 7 estrelas são os 7 anjos. Portanto, a melhor interpretação desse texto seria que as 7 estrelas referidas aqui dizem respeitos aos 7 anjos, conforme já explicamos no texto acima.

 

 

DA SUA BOCA SAIA UMA AGUDA ESPADA DE DOIS GUMES– mais uma vez essa metáfora parece que foi emprestada do Velho Testamento, dessa vez do livro de Isaías. A melhor interpretação é de que Jesus aqui é descrito como Juiz. Jesus quando veio por primeira vez a Terra veio para Salvar, morreu na cruz em favor de todos os homens. Mas chegará o dia em que Jesus será reconhecido como Justo Juiz.

 

“4 mas julgará com justiça os pobres, e repreenderá com equidade os mansos da terra, e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará o ímpio.” Isaías 11:4 (ARC)

 

“2 E fez a minha boca como uma espada aguda, e, com a sombra da sua mão, me cobriu, e me pôs como uma flecha limpa, e me escondeu na sua aljava.” Isaías 49:2 (ARC)

 

“22 Além disso, o Pai a ninguém julga, mas confiou todo julgamento ao Filho,” João 5:22 (NVI-PT)

 

“10 Pois todos nós devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba de acordo com as obras praticadas por meio do corpo, quer sejam boas quer sejam más.” 2 Coríntios 5:10 (NVI-PT)

 

“8 Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda.” 2 Timóteo 4:8 (NVI-PT)

 

 

SEU ROSTO ERA COMO O SOL– primeiro quero relembrar a vcs que o rosto do profeta Moises quando recebeu os dez mandamentos brilhava, porque refletia a Glória de Deus, conforme lemos em Êxodo 34:29. Se isso passou com Moisés imagina como será o rosto de Jesus agora que está ressurreto dentre os mortos e vive para sempre!!! Além disso brilhar como o sol é uma promessa de Jesus a todos os remidos conforme lemos em Mateus 13:43. Portanto vários interpretes estão de acordo que essa metáfora diz respeito a glória de Deus, que Jesus ressurreto recebeu um corpo glorificado, sendo essa uma explicação bem resumida sobre o tema.

 

“29 Ao descer do monte Sinai com as duas tábuas da aliança nas mãos, Moisés não sabia que o seu rosto resplandecia por ter conversado com o Senhor.” Êxodo 34:29 (NVI-PT)

 

“43 Então os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Aquele que tem ouvidos, ouça.” Mateus 13:43 (NVI-PT)

 

“3 O Filho é o resplendor da glória de Deus e a expressão exata do seu ser, sustentando todas as coisas por sua palavra poderosa. Depois de ter realizado a purificação dos pecados, ele se assentou à direita da Majestade nas alturas,” Hebreus 1:3 (NVI-PT)

 

“ 15 Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação,” Colossenses 1:15 (NVI-PT)

 

 

SOU O PRIMEIRO E O ULTIMOjá vimos no texto acima que Jesus é descrito como aquele que era, que é, e que há de vir. O que podemos dizer que é o mesmo que ser o primeiro e o ultimo (alfa e ômega). Essa declaração diz respeito a eternidade de Jesus e sua imutabilidade. Esse título geralmente é usado para Deus, mas na medida que o autor o usa para descrever a Jesus, podemos chegar a conclusão de que Deus e Jesus compartem da mesma natureza.

 

“16 pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis,

sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele.” Colossenses 1:16 (NVI-PT)

 

 

O QUE VIVO, FUI MORTO, MAS EIS QUE VIVO PELOS SECULOS DOS SECULOS– fica claro nessa descrição a missão de terrena de Jesus, que foi deixar os céus e encarnar na terra como HOMEM, sofrer, morrer crucificado e ressuscitar. Como homem, a vida de Jesus floresceu quando ele ressuscitou, porque Jesus é o primeiro homem a ser ressuscitado para a eternidade, recebendo nesse momento um corpo glorificado. Claro está com a ressurreição que Jesus venceu a morte! Aqui o autor escreve a respeito da modalidade de vida de Jesus após sua ressurreição, que seria vida eterna.

 

“ 25 Eu lhes afirmo que está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e aqueles que a ouvirem, viverão. 26 Pois, da mesma forma como o Pai tem vida em si mesmo, ele concedeu ao Filho ter vida em si mesmo.” João 5:25-26 (NVI-PT)

 

“ 6 para nós, porém, há um único Deus, o Pai, de quem vêm todas as coisas e para quem vivemos; e um só Senhor, Jesus Cristo, por meio de quem vieram todas as coisas e por meio de quem vivemos.” 1 Coríntios 8:6 (NVI-PT)

 

 

TENHO AS CHAVES DA MORTE E DO INFERNO – quando o autor usa a metáfora da chave isso significa autoridade de Jesus em usar esse dispositivo de controle. Essa metáfora deixa claro que Jesus tem poder tanto sobre o aspecto físico e humano da morte (morte do corpo físico), quanto sobre o aspecto sobrenatural que seria o local “hades” onde de acordo com a literatura judaica e cristã as almas estariam guardadas (sobrenatural). Logo, de maneira bem resumida, Jesus quando ressuscitou venceu a morte física (corpo) e sobrenatural (alma), e por isso tem as chaves da morte e do inferno. O poder de controle de Jesus sobre a chave o capacita a abrir a porta do inferno e daí vem a maior de suas promessas, que é a de ressuscitar também a todos que confessaram a Jesus como Senhor de suas vidas.

 

“4 Vi tronos em que se assentaram aqueles a quem havia sido dada autoridade para julgar. Vi as almas dos que foram decapitados por causa do testemunho de Jesus e da palavra de Deus. Eles não tinham adorado a besta nem a sua imagem, e não tinham recebido a sua marca na testa nem nas mãos. Eles ressuscitaram e reinaram com Cristo durante mil anos. 5 (O restante dos mortos não voltou a viver até se completarem os mil anos.) Esta é a primeira ressurreição. 6 Felizes e santos os que participam da primeira ressurreição! A segunda morte não tem poder sobre eles; serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele durante mil anos.” Apocalipse 20:4-6 (NVI-PT)

 

 

Viu só como foi uma benção estudar o capítulo primeiro de Apocalipse! Quanta coisa linda aprendemos hoje! Um dos capítulos mais reveladores sobre Jesus!!! Por isso Jesus é o tema principal desse livro! Vejam com que paixão o autor descreve a Jesus e quantos títulos usa para descrever sua majestade e poder! Simplesmente amo!

 

Estudo realizado após a leitura dos seguintes livros: “ O novo testamento interpretado versículo por versículo, autor R.N. Champlin, editora Hagnos, vol. 6..e “ O Antigo Testamento Interpretado versículo por versículo”, autor R.N. Champlin, editora Hagnos, volume 1.e também “ O novo testamento interpretado versículo por versículo, autor R>N> Champlin, editora Hagnos, Vol.5.

 

Se de alguma maneira esse post foi benção para seus planos e sua edificação pessoal, você poderá agradecer fazendo coisas bem simples:

 

 

  • Compartilhar uma das fotos desse post em Pinterest “Pin it”

 

Muito obrigada por visitar o blog!!!

 

Saludos,

 

Emiliana Sábio P. Valente

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Read More

Estudo bíblico sobre Apocalipse: autoria, data, proveniência, destinatários, contexto histórico, versículo chave, gênero literário, interpretação, conceitos de arranjos

Olá amigos(as),

 

Hoje vou compartilhar com vcs um estudo bíblico sobre o último livro do Novo Testamento, Apocalipse.

 

Venho estudando esse livro a bastante anos, tenho vários resumos, e vou escrever de uma maneira que se poderá compreender facilmente.

 

Não é algo que fiz da noite para o dia, mas que levou anos para fazer um estudo bem elaborado e que eu creio que facilitará sua vida para estudar esse livro.

 

De todas maneiras vou ter que dividir esse estudo em várias partes porque se não ficará enorme e vcs ficarão com preguiça de ler tudo.

 

Em esse primeiro estudo abordarei os seguintes temas: autoria, data em que foi escrito, proveniência, destinatários, contexto histórico quando foi escrito o livro, versículo chave, gênero literário, maneiras de interpretação e por último, conceitos de arranjos.

 

Espero que os estudos tenham sido edificantes! Vamos para mais uma aventura!

 

 

Quem escreveu o livro de Apocalipses?

 

Vejamos o que nos conta o livro sobre o seu autor:

 

“ 1 Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu para mostrar aos seus servos[a] o que em breve há de acontecer. Ele enviou o seu anjo para torná-la conhecida ao seu servo João,” Apocalipse 1:1 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

 

“ 4 João às sete igrejas da província da Ásia: A vocês, graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, dos sete espíritos[a] que estão diante do seu trono,” Apocalipse 1:4 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

 

 “9 Eu, João, irmão e companheiro de vocês no sofrimento, no Reino e na perseverança em Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus.” Apocalipse 1:9 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

  

“8 Eu, João, sou aquele que ouviu e viu estas coisas. Tendo-as ouvido e visto, caí aos pés do anjo que me mostrou tudo aquilo, para adorá-lo.” Apocalipse 22:8 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

 

O autor do livro de Apocalipse se identifica como João, um servo de Jesus Cristo, e como João irmão e companheiro de vcs no sofrimento, e outra vez simplesmente como João.

 

Existem várias teorias sobre quem seria o autor do livro. Mas eu vou escrever sobre as três mais prováveis.

 

  • João, apóstolo de Jesus Cristo

 

A primeira menção ao livro de apocalipse foi realizada por Justino Mártir aproximadamente entre 153 a 160 anos depois de Cristo. Ele faz menção em seu livro Diálogo com Trifo, 81, vejamos:

 

“ Além disso, um homem entre nós, de nome João, um dos apóstolos de Cristo, profetizou, em uma revelação que lhe foi feita, que aqueles que tiverem confiado em nosso Cristo passarão mil anos em Jerusalém, e que após a ressurreição universal e eterna, terá lugar o julgamento.”

 

Depois de Justino Mártir, outros homens considerados como pais da igreja também citaram o livro de Apocalipses, como também atribuíam a autoria a João, o apóstolo amado de Jesus: Eusébio (Historia Eclesiásticas), Teófilo (Historia Eclesiástica ), Clemente (Paed. Ii119), Orígenes (Joann, tom v.3, Lommatzsch i.165), Cânon Muratoriano e  Tertuliano.

 

Papias dizia que o apóstolo João faleceu decapitado pelos judeus aproximadamente no ano 70 DC.

 

Por outro lado, Irineu expôs a tradição de que o apóstolo João faleceu idoso na Ásia Menor, essa tradição é tão forte que atualmente na ilha de Patmos existe turismo a gruta onde se supõe que esteve o apóstolo João, como também ao Monastério.

 

Aliado a tradição de Irineu existe testemunhos escritos por Policarpo, Clemente de Alexandria, Tertuliano, Eusébio e Jerônimo de que o apóstolo João tenha sido exilado na ilha de Patmos quando Domiciano era Imperador.

 

Portanto, devido a diferentes versões dos primeiros cristãos, historicamente não existe provas concretas de que o apóstolo João tenha vivido até final do século I DC, de maneira que não temos como afirmar com absoluta certeza que realmente o apóstolo João tenha escrito esse livro.

 

Apesar de existir muitas similitudes entre os textos atribuídos ao apóstolo João e o livro de apocalipse, muitos teólogos, rejeitam essa possibilidade devido a diferença do idioma entre os 5 livros (evangelho de Joao, 1 Joao, 2 Joao, 3 Joao e Apocalipse). Dizem que o idioma grego utilizado para escrever o livro de apocalipse é bárbaro, enquanto que os outros livros apesar de ter o idioma grego infantil, não possui ¼ dos problemas gramaticais apresentados pelo livro de apocalipse.

 

Outro problema que joga em contra a autoria do apóstolo João seria o fato de que o autor, não faz nenhuma tentativa de identificar-se como apóstolo, ou como uma pessoa que tenha testificado a vida terrena de Jesus. Ao contrário, tudo o que escreveu diz respeito a uma revelação.

 

A igreja Assembleia de Deus Chile acredita que o apóstolo João seja o autor do livro, porque creem que a maioria dos pais da igreja possuem razão ao concordarem que o apostolo Joao tenha sido exilado a ilha de Patmos na época de Domiciano, estando eles em melhores condições de averiguar a autoria do que nós, além disso, creem que as similitudes entre os livros de João são superiores aos problemas gramaticais do grego utilizado.

 

Vejamos quadro comparativo entre algumas semelhanças dos livros atribuídos ao apóstolo João:

 

Livros de João Apocalipse
João 16:2 (NVI-PT)

 

2 Vocês serão expulsos das sinagogas; de fato, virá o tempo quando quem os matar pensará que está prestando culto a Deus.

 

 

João 15:20 (NVI-PT)

 

20 Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: Nenhum escravo é maior do que o seu senhor.[a] Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês.

 

Apocalipse 2:10 (NVI-PT)

 

10 Não tenha medo do que você está prestes a sofrer. O Diabo lançará alguns de vocês na prisão para prová-los, e vocês sofrerão perseguição durante dez dias. Seja fiel até a morte, e eu lhe darei a coroa da vida.

 

 

João 4:21l (NVI-PT)

 

21 Jesus declarou: “Creia em mim, mulher: está próxima a hora em que vocês não adorarão o Pai nem neste monte, nem em Jerusalém.

Apocalipse 21:22 (NVI-PT)

 

22 Não vi templo algum na cidade, pois o Senhor Deus todo-poderoso e o Cordeiro são o seu templo.

João 1:29 (NVI-PT)

 

Jesus, o Cordeiro de Deus

29 No dia seguinte João viu Jesus aproximando-se e disse: “Vejam! É o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

 

 

Apocalipse 5:6 (NVI-PT)

 

6 Depois vi um Cordeiro, que parecia ter estado morto, em pé, no centro do trono, cercado pelos quatro seres viventes e pelos anciãos. Ele tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.

João 1:36 (NVI-PT)

 

36 Quando viu Jesus passando, disse: “Vejam! É o Cordeiro de Deus!”

Apocalipe 5:8,12,13

 

Apocalipse 6:1,16

 

Apocalipse 7:9,10,14,17

 

Apocalipse 12:11

 

Apocalipse 13:8

 

Apocalipse 14:1,4,10

 

Apocalipse 15:3

 

Aocalipse 19:7,9

 

Apocalipse 21:9,14,22,23,27

 

Apocalipse 22:1,3,5

 

 

 

 

  • João, ancião

 

Papias dizia que João um ancião (que naquela época poderia ser um membro importante da igreja, um líder de alguma igreja), que vivia na cidade de Éfeso escreveu o livro de apocalipse. Diz que esse João o ancião era um discípulo de Jesus que havia frequentado a escola do apóstolo João em Éfeso. Também conta sobre o sepulcro desse ancião junto ao do apóstolo João.

Seguindo essa estória e tradição também temos Eusébio e Dionísio.

 

  • João, o vidente

 

Entre outros doutrinadores e teólogos também existe uma terceira teoria, de que o João o autor do livro de apocalipse seria um Profeta (vidente), que não se trataria do apóstolo, e muito menos o ancião.

 

Alguns pensam que seria um profeta porque o próprio autor se intitula assim, vejamos:

 

“9 Mas ele me disse: “Não faça isso! Sou servo como vocêe seus irmãos, os profetas, e como os que guardam as palavras deste livro. Adore a Deus!” Apocalipse 22:9 (NVI-PT)

 

Ademais, o autor recebeu ordem da parte de Deus para profetizar.

 

“3 Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.” Apocalipse 1:3 (ARC)

 

“19 Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer:” Apocalipse 1:19 (ARC)

 

E por último, o autor deixa bem claro que o seu livro se trata de um livro de profecias:

 

“11 E ele disse-me: Importa que profetizes outra vez a muitos povos, e nações, e línguas, e reis.” Apocalipse 10:11 (ARC)

 

“7 Eis que presto venho. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.” Apocalipse 22:7 (ARC)

 

“10 E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro, porque próximo está o tempo.” Apocalipse 22:10 (ARC)

 

“18 Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;” Apocalipse 22:18 (ARC)

 

Portanto, existe uma corrente que crê que existia um João, que era um profeta, e que ele tenha escrito o livro de apocalipse.

 

Eu pessoalmente estou de acordo com a teoria de que o apóstolo João tenha sido o autor do livro de Apocalipse, seguindo a igreja Assembleia de Deus Chile.

 

 

Em que data foi escrito o livro de Apocalipse?

 

Existem várias teorias sobre qual seria a data correta para o livro. Eu vou citar as duas mais conhecidas.

 

  • 69-70 DC

 

Muitos eruditos e historiadores acreditam que o livro de apocalipse tenha sido escrito quando Nero era Imperador de Roma, porque o livro foi escrito quando a igreja sofria perseguição.

 

Além disso, muitos creem que o livro faz alusão ao templo de Jerusalém, e o templo de Jerusalém foi destruído em 70 DC.. Vejamos os versículos que sugerem que o templo, todavia não havia sido destruído:

 

“9 E, havendo aberto o quinto selo, vi debaixo do altar as almas dos que foram mortos por amor da palavra de Deus e por amor do testemunho que deram.” Apocalipse 6:9 2009 (ARC

 

“1 E foi-me dada uma cana semelhante a uma vara; e chegou o anjo e disse: Levanta-te e mede o templo de Deus, e o altar, e os que nele adoram.

2 E deixa o átrio que está fora do templo e não o meças; porque foi dado às nações, e pisarão a Cidade Santa por quarenta e dois meses.” Apocalipse 11:1 e 2 (ARC)

 

Se levarmos em consideração o versículo de apocalipse 17:8-10 também poderíamos sustentar que Nero seria o sexto imperador, quando se supõe que o livro tenha sido escrito, vejamos:

 

“ 8 A besta que viste foi e já não é, e há de subir do abismo, e irá à perdição. E os que habitam na terra (cujos nomes não estão escritos no livro da vida, desde a fundação do mundo) se admirarão vendo a besta que era e já não é, mas que virá. 9 Aqui há sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. 10 E são também sete reis: cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo.” Apocalipse 17:8-10 (ARC)

 

Vejamos como seria a lista se considerarmos todos os imperadores:

 

1 – Julio Cesar

2 – Augusto

3 – Tibério

4  – Calígula

5 – Cláudio

6 – Nero

7 – Galba

8 – Oto

9 – Vitelio

10 – Vespasiano

11- Tito

12 – Domiciano

 

Logo, muitos eruditos pensam que a melhor data para o livro seria entre 69-70.

 

  • 96 DC

 

Muito embora a primeira teoria seja excelente, a maioria dos eruditos creem que o livro tenha sido escrito em uma data posterior. A maioria acredita que a melhor data seria 96 DC, quando Domiciano era Imperador Romano.

 

Primeiramente cumpre esclarecer que historicamente o Imperador Domiciano era chamado de “Outro Nero” ou “Nero calvo” , conforme está escrito em Juvenal, Satiras, iv 37,38; e Marcial, Epigrames I.33.. O que colaboraria com a teoria dos primeiros cristãos de que o anticristo seria o imperador Nero Ressuscitado, e muitos creiam que Domiciano era o próprio Nero ressuscitado.

 

Além disso, o Imperador Domiciano foi quem instaurou o culto ao imperador de maneira obrigatória por todo império. Nesses dias o culto ao imperador na verdade era uma prova de lealdade pelas pessoas que participavam do mesmo ao imperador reinante. Portanto, a lealdade dos cidadãos era medida através da participação ao culto ao imperador, e quem não participava do culto era perseguido pelo Imperador. Essa seguramente foi a época de perseguição mais feroz aos cristãos.

 

Irineu e Eusébio considerados pais da primeira igreja, afirmam em seus livros “Historias Eclesiásticas” e “Adv. Haer”, que o livro de Apocalipse havia sido escrito quando Domiciano era Imperador Romano. Somando-se a esse testemunho temos outras autoridades: Clemente de Alexandria, Orígenes e Jerônimo.

 

A carta escrita pelo autor do livro de Apocalipse para as sete igrejas também sugere uma data posterior a 70 DC. De acordo com Policarpo, não existia igreja cristã na cidade de Esmirna no tempo em que Nero foi imperador, logo, seria impossível ao autor escrever a uma igreja inexistente, sendo, portanto, um dato histórico que joga em contra a data de 70DC para a composição desse livro.

 

Se considerarmos o versículo de Apocalipse 17:8-10, e que o autor em essa lista de Reis Romanos tenha sugerido apenas os imperadores mortos que foram declarados deuses pelo Senado Romano,a lista seria a seguinte:

 

1 – Cesar

2 – Augusto

3 – Claudio

4 – Vespasiano

5 –  Tito

6 – Domiciano

 

De acordo com essa lista, o livro haveria sido escrito no tempo do sexto imperador romano, que no caso seria Domiciano.

 

Além disso, existem testemunhos escritos por Policarpo, Irineu, Clemente de Alexandria, Tertuliano, Eusébio e Jerônimo de que o apóstolo João tenha sido exilado na ilha de Patmos quando Domiciano era Imperador.

 

Por todas essas razões, a maioria dos eruditos concordam que a data mais provável para a composição do livro tenha sido 96 DC.

 

 

 

 

Proveniência do livro? 

 

De acordo com o autor do livro o mesmo foi escrito na Ilha de Patmos, vejamos:

 

“9 Eu, João, que também sou vosso irmão e companheiro na aflição, e no Reino, e na paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus e pelo testemunho de Jesus Cristo. 10 Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,”  Apocalipse 1:9-10 (ARC)

 

Existem aproximadamente 6.000 (seis mil ilhas) gregas, das quais 227 são habitadas.  As ilhas se encontram em sua maioria no mar Egeu e são divididas em 7 grupos:

 

1 – Ilhas do mar Jônico (Ilhas Jônicas) : Zakynthos, Ithake, Corfou, Kefalonia, Kythira, Lefkada, Paxi

 

2 – Ilhas do Golfo Sarônico: Egina, Poros, Hydra, Spetses

 

3 – Ilhas do norte do mar Egeu : Lesbos, Lemnos, Samos, Chios, Samoutraki

 

4 – Esporades: são ilhas que estão no noroeste do Mar Egeu: Alonnisos, Skiathos, Skopelos, Skyros

 

5 – Ilhas do Dodecaneso: é um complexo de ilhas no sudeste do mar Egeu. As mais conhecidas são Patmos,Rodes, leros, Kalymno, Kos, Nissiros, Tilos, Simi, Karpathos, Kassos, Kastellorizo, Astipalaya

 

6 – Creta

 

7 – Cíclades: essa palavra significa “circular”, e se trata de um grupo de ilhas que ficam ao redor da ilha sagrada Delos. Esse grupo são aproximadamente de 56 ilhas, as mais famosas são: Andros, Kythnos, Kea, Syros, Tinos, Mykonos,Santorini,Delos, Anafi, Amorgos,Paros, Antiparos, Naxos,Sifnos, Los,Folegandros, Kimolos, Milos, Serifos

 

A ilha de Evia, apesar de ser a segunda maior ilha da Grécia, possui um caráter um pouco continental, vez que possui duas pontes que a ligam com o continente.

 

Bom, como estamos estudando o livro de apocalipse, vamos concentrar agora mais sobre a ilha de onde o autor do livro nos escreveu. A ilha de Patmos faz parte do grupo Dodecaneso, que significa “doze ilhas”, em referência as doze maiores ilhas desse arquipélago do Mar Egeu. Esse arquipélago possui aproximadamente 163 ilhas, sendo apenas 26 habitadas.

 

A ilha de Patmos é mundialmente conhecida como a ilha sagrada, onde o apóstolo João escreveu o livro de Apocalipse, e fica localizada a 55 km da costa da Turquia. Possui uma área de 34,6 km e aproximadamente 2.700 habitantes.

 

Essa ilha é dividida em duas partes (norte e sul), sendo formada por montes relativamente baixos, sendo o mais alto chamado Profitis Ilias (269m).

 

Em 1981 a ilha de Patmos foi declarada “Terra Santa” pelo parlamento grego. E em 1999 foi declarada como Centro histórico pela Unesco.

 

Atualmente existem dois pontos turísticos super importantes na ilha, a “ Santa Gruta do Apocalipse” lugar de onde se supõe que o apóstolo João escutou a voz de Deus, e também o “Santo Monastério do Apocalipse”. Que se trata de um castelo construído em 1088 pelo monge Christodoulos Ltrinos, onde abriga um monastério.

Os italianos usaram parte dessa ilha para abrigar a Ordem Italiana Dodecanese de 1912 a 1943.

 

 

 

 

 

Destinatários do livro de apocalipse?

 

O autor do livro também deixa bem claro para quem está enviando sua carta, vejamos:

 

“4 João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete Espíritos que estão diante do seu trono;” Apocalipse 1:4 Almeida Revista e Corrigida 2009 (ARC)

 

A carta está direcionada as sete igrejas da Ásia Menor, que seriam: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodicéia.

 

Também poderíamos dizer que se trata de um livro universal, já que se passaram muitos anos desde que foi escrito e, todavia, podemos aprender com ele.

 

 

 

Em que contexto histórico o livro de Apocalipses foi escrito?

 

O livro foi escrito quando a igreja estava em um tempo de perseguição atroz provavelmente durante o Império de Domiciano, o qual demandava que todos os cidadãos o adorassem como um deus. Os cristãos que se recusavam a praticar o culto ao imperador poderiam ser presos, torturados, ter seus bens confiscados ou até mesmo serem mortos.

 

Tudo indica que o apóstolo João foi exilado na ilha de Patmos, nesse período, de onde teve as visões e escreveu o livro.

 

 

 

 

Qual seria o versículo chave desse livro?

 

Poderia ser

 

“19 Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer:” Apocalipse 1:19 (ARC)

  

“8 E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. 9 E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação;” Apocalipse 5:8-9 (ARC)

 

“6 E ouvi como que a voz de uma grande multidão, e como que a voz de muitas águas, e como que a voz de grandes trovões, que dizia: Aleluia! Pois já o Senhor, Deus Todo-Poderoso, reina.” Apocalipse 19:6 (ARC)

 

“11 E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco. O que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro e julga e peleja com justiça. 12 E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito que ninguém sabia, senão ele mesmo. 13 E estava vestido de uma veste salpicada de sangue, e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus. 14 E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro. 15 E da sua boca saía uma aguda espada, para ferir com ela as nações; e ele as regerá com vara de ferro e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor e da ira do Deus Todo-Poderoso. 16 E na veste e na sua coxa tem escrito este nome: Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.” Apocalipse 19:11-16 (ARC)

 

 

 

 

Gênero Literário:

  

O livro de Apocalipse pertence a um tipo de literatura chamada apocalíptica.

 

O termo grego “apokalupto” significa desvendar, revelar. O termo grego “apokalupsis” significa revelação, desvendamento, visão profética.

 

Esta literatura se caracteriza por duas coisas principais:

  • As obras apocalípticas geralmente aparecem em tempos de perseguição e opressão politica. A linguagem utilizada parece incompreensível para as autoridades opressoras

 

  • A obra apocalíptica destaca a revelação por meio de visão cheia de simbolismo, e a interação do escritor com seres angelicais, os quais, explicam aspectos das visões.

 

Por isso, o livro deve ser estudado visão por visão, reconhecendo a verdade central de cada visão, e os elementos complementários que integram força a essa verdade central.

 

Esse gênero literário é difícil de interpretar inclusive pelo receptor original, conforme lemos em Daniel 7:15:

 

“15 Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi abatido dentro do corpo, e as visões da minha cabeça me espantavam.” Daniel 7:15 (ARC)

 

 

 

 

Maneiras de Interpretação do livro de Apocalipses?

 

Ao decorrer da história várias e distintas formas de interpretação floresceram na teologia. Vejamos:

 

  • Escola Alegórica: Esta escola originou-se em Alexandria, sendo a visão de Clemente e Orígenes de Alexandria. De acordo com essa escola não se pode ler o livro interpretando literalmente, toda a obra seria uma alegoria do conflito entre o bem o mal, com a eventual vitória do bem. Essa escola não reconhece as profecias específicas.

 

  • Escola Pretérita: esta escola ensina que a visão do livro de apocalipse é um registro de conflito entre a igreja apostólica e o império romano. Se trataria de uma “historia simbólica” sem caráter profético. O valor dessa escola está em reconhecer a vigência do conteúdo do livro dentro do seu contexto histórico, levando-se em consideração os destinatários originais. O único incorreto seria pensar que todos os eventos do livro já tenham sucedido.

 

  • Escola Histórica: os teólogos que propuseram essa interpretação consideram que o livro trata de uma apresentação simbólica da história eclesiástica. Foi uma interpretação muito popular na época da reforma protestante, porque pensavam que o papa seria o anticristo.

 

  • Escola Futurista: Esta é a escola preferida da maioria dos evangélicos. Essa escola interpreta os eventos a partir do capítulo 4 em relação com a situação mundial imediatamente após a segunda vinda de Cristo e o milênio. Alguns entendem que as cartas as sete igrejas seria sete épocas da historia eclesiástica. Os selos e trombetas representaria aspectos da Grande Tribulação, da qual a igreja não participara. Com relação ao momento do arrebatamento os teólogos se dividem em Pre-tribulacionistas, Meia-tribulação, e Post-tribulação.

 

  • Escola Idealista: Estes intérpretes consideram o livro de apocalipse atemporal. Suas visões não guardariam relação com eventos históricos, mas apenas com princípios, e abstrações sobre o poder de Deus e seus adversários. O grave problema desse método de interpretação é que ignora as profecias messiânicas.

 

 

Em resumo, o livro de Apocalipse é um livro profético que diz respeito sobre as condições que existirão quando Jesus voltar por segunda vez, e portanto, a melhor interpretação seria a oferecida pela Escola Futurista.

 

Apesar de crer na Escola Futurista é inegável que o livro foi fonte de grande apoio e ajuda aos leitores originais que estavam sofrendo perseguição do Imperador Romano. Afinal, este livro continua sendo até hoje fonte de ânimo para todos os crentes, em qualquer lugar do mundo, e em qualquer momento da história. O tema do livro é que Jesus é Senhor dos Senhores, e que os confiam Nele obterão a vitória final.

 

 

 

 

Conceitos de arranjos do livro de Apocalipse

 

Existem três tipos de conceitos criados pelos teólogos para que possamos interpretar o livro de Apocalipses. Esses conceitos se tratariam da maneira como podemos compreender os eventos do livro, se seriam de maneira sucessiva, paralela o sincronológica. Vejamos:

  • Conceito telescópico

 

Esse conceito leva em consideração o que diz o autor do livro sobre as coisas que foram, as coisas que são, as coisas que irão acontecer. O que significa que o livro deveria ser interpretado de maneira cronológica, levando em consideração a ordem dos acontecimentos.

 

Então, o capítulo 1 seria o passado, o capítulo 2 e 3 o presente, e o capítulo 4-22 seria o futuro.

 

  • Conceito das profecias paralelas

 

Esse conceito interpreta o livro de apocalipse assim como o sonho de José, no livro de Gênesis.

 

Em Genesis 41:14  e 25-28

 

“14 O faraó mandou chamar José, que foi trazido depressa do calabouço. Depois de se barbear e trocar de roupa, apresentou-se ao faraó.” Gênesis 41:14 (NVI-PT)

  

“ 25 “O faraó teve um único sonho”, disse-lhe José. “Deus revelou ao faraó o que ele está para fazer. 26 As sete vacas boas são sete anos, e as sete espigas boas são também sete anos; trata-se de um único sonho. 27 As sete vacas magras e feias que surgiram depois das outras, e as sete espigas mirradas, queimadas pelo vento leste, são sete anos. Serão sete anos de fome. 28 “É exatamente como eu disse ao faraó: Deus mostrou ao faraó aquilo que ele vai fazer. “Gênesis 41:25-28  (NVI-PT)

 

Assim como os sete anos de abundância e os sete anos de seca são paralelos, a interpretação ao livro de apocalipse também seria a mesma. Deveríamos considerar os sete selos e as sete trombetas profecias paralelas, e os sete anjos e as setes trombetas também paralelos. Total, de acordo com essa interpretação existiria apenas uma série de sete elementos, e seu paralelo, outra série de sete eventos e seu paralelo.

 

Note-se que na visão sobre os setes selos, o sétimo selo começa as sete trombetas (apocalipse 8:1 e 2). Portanto temos seis selos e sete trombetas, em um total de 13 eventos.

 

Portanto, esses últimos 13 eventos devem ser interpretados como a conquista da cidade de Jerico por Josué. Quando o povo de Israel marchou pela cidade uma vez por seis dias, e no sétimo dia marcharam 7 vezes ao redor da cidade, em um total de 13 vezes, conforme lemos no livro de Josué capítulo 6.

 

Logo teríamos os paralelos entre os selos e anjos, e os paralelos entre as trombetas e taças, podendo considerar um ponto de vista celeste e um ponto de vista terreno:

 

Selos Anjos
 

“ 2 Olhei, e diante de mim estava um cavalo branco. Seu cavaleiro empunhava um arco, e foi-lhe dada uma coroa; ele cavalgava como vencedor determinado a vencer.” Apocalipse 6:2

 

“6 Então vi outro anjo, que voava pelo céu e tinha na mão o evangelho eterno para proclamar aos que habitam na terra, a toda nação, tribo, língua e povo. 7 Ele disse em alta voz: “Temam a Deus e glorifiquem-no, pois chegou a hora do seu juízo. Adorem aquele que fez os céus, a terra, o mar e as fontes das águas”. Apocalipse 14:6-7  (NVI-PT)

 

 

 

 

Apocalipse 6:3-5 (NVI-PT)

 

3 Quando o Cordeiro abriu o segundo selo, ouvi o segundo ser vivente dizer: “Venha!” 4 Então saiu outro cavalo; e este era vermelho. Seu cavaleiro recebeu poder para tirar a paz da terra e fazer que os homens se matassem uns aos outros. E lhe foi dada uma grande espada.

 

5 Quando o Cordeiro abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: “Venha!” Olhei, e diante de mim estava um cavalo preto. Seu cavaleiro tinha na mão uma balança.

 

 

 

“8 Um segundo anjo o seguiu, dizendo: “Caiu! Caiu a grande Babilônia que fez todas as nações beberem do vinho da fúria da sua prostituição!”” Apocalipse 14:8 (NVI-PT)

 

 

 

Apocalipse 6:5-6  (NVI-PT)

 

5 Quando o Cordeiro abriu o terceiro selo, ouvi o terceiro ser vivente dizer: “Venha!” Olhei, e diante de mim estava um cavalo preto. Seu cavaleiro tinha na mão uma balança. 6 Então ouvi o que parecia uma voz entre os quatro seres viventes, dizendo: “Um quilo[a] de trigo por um denário[b], e três quilos de cevada por um denário, e não danifique o azeite e o vinho!”

 

Apocalipse 14:9-11  (NVI-PT)

 

9 Um terceiro anjo os seguiu, dizendo em alta voz: “Se alguém adorar a besta e a sua imagem e receber a sua marca na testa ou na mão, 10 também beberá do vinho do furor de Deus que foi derramado sem mistura no cálice da sua ira. Será ainda atormentado com enxofre ardente na presença dos santos anjos e do Cordeiro, 11 e a fumaça do tormento de tais pessoas sobe para todo o sempre. Para todos os que adoram a besta e a sua imagem, e para quem recebe a marca do seu nome, não há descanso, dia e noite”.

 

 

Apocalipse 6:7-8 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

 

7 Quando o Cordeiro abriu o quarto selo, ouvi a voz do quarto ser vivente dizer: “Venha!” 8 Olhei, e diante de mim estava um cavalo amarelo. Seu cavaleiro chamava-se Morte, e o Hades[a] o seguia de perto. Foi-lhes dado poder sobre um quarto da terra para matar pela espada, pela fome, por pragas e por meio dos animais selvagens da terra.

 

 

Apocalipse 14:12-13  (NVI-PT)

 

12 Aqui está a perseverança dos santos que obedecem aos mandamentos de Deus e permanecem fiéis a Jesus.

 

13 Então ouvi uma voz dos céus dizendo: “Escreva: Felizes os mortos que morrem no Senhor de agora em diante”.

 

Diz o Espírito: “Sim, eles descansarão das suas fadigas, pois as suas obras os seguirão”.

 

 

Apocalipse 6:9-11  (NVI-PT)

 

9 Quando ele abriu o quinto selo, vi debaixo do altar as almas daqueles que haviam sido mortos por causa da palavra de Deus e do testemunho que deram. 10 Eles clamavam em alta voz: “Até quando, ó Soberano, santo e verdadeiro, esperarás para julgar os habitantes da terra e vingar o nosso sangue?” 11 Então cada um deles recebeu uma veste branca, e foi-lhes dito que esperassem um pouco mais, até que se completasse o número dos seus conservos e irmãos, que deveriam ser mortos como eles.

 

 

Apocalipse 14:17-20  (NVI-PT)

 

17 Outro anjo saiu do santuário dos céus, trazendo também uma foice afiada. 18 E ainda outro anjo, que tem autoridade sobre o fogo, saiu do altar e bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: “Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!” 19 O anjo passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus. 20 Elas foram pisadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar, chegando ao nível dos freios dos cavalos, numa distância de cerca de trezentos quilômetros[a].

 

 

Apocalipse 6:12 (NVI-PT)

 

12 Observei quando ele abriu o sexto selo. Houve um grande terremoto. O sol ficou escuro como tecido de crina negra, toda a lua tornou-se vermelha como sangue

 

 

 

Apocalipse 7:1-4 (NVI-PT)

 

“7 Depois disso vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, retendo os quatro ventos, para impedir que qualquer vento soprasse na terra, no mar ou em qualquer árvore. 2 Então vi outro anjo subindo do Oriente, tendo o selo do Deus vivo. Ele bradou em alta voz aos quatro anjos a quem havia sido dado poder para danificar a terra e o mar: 3 “Não danifiquem, nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos as testas dos servos do nosso Deus”. 4 Então ouvi o número dos que foram selados: cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos de Israel.”

 

 

Apocalipse 14:17-20 Nova Versão Internacional (NVI-PT)

 

17 Outro anjo saiu do santuário dos céus, trazendo também uma foice afiada. 18 E ainda outro anjo, que tem autoridade sobre o fogo, saiu do altar e bradou em alta voz àquele que tinha a foice afiada: “Tome sua foice afiada e ajunte os cachos de uva da videira da terra, porque as suas uvas estão maduras!” 19 O anjo passou a foice pela terra, ajuntou as uvas e as lançou no grande lagar da ira de Deus. 20 Elas foram pisadas no lagar, fora da cidade, e correu sangue do lagar, chegando ao nível dos freios dos cavalos, numa distância de cerca de trezentos quilômetros[a].

 

Apocalipse 8:1-6  (NVI-PT)

 

 

1 Quando ele abriu o sétimo selo, houve silêncio nos céus cerca de meia hora.

 

2 Vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus; a eles foram dadas sete trombetas.

 

3 Outro anjo, que trazia um incensário de ouro, aproximou-se e se colocou em pé junto ao altar. A ele foi dado muito incenso para oferecer com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro diante do trono. 4 E da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos. 5 Então o anjo pegou o incensário, encheu-o com fogo do altar e lançou-o sobre a terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e um terremoto.

 

6 Então os sete anjos, que tinham as sete trombetas, prepararam-se para tocá-las.

 

 

 

Apocalipse 15:1 até 16:1

 

 

Apocalipse 15:1  (NVI-PT)

 

15 Vi no céu outro sinal, grande e maravilhoso: sete anjos com as sete últimas pragas, pois com elas se completa a ira de Deus.

 

 

 

Trombetas Taças
Apocalipse 8:7 Ap 16:2
Apocalipse 8:8-9 Ap 16:3
Ap 8:10-11 Ap 16:4-7
Ap 8:12-13 Ap 16:8-9
Ap 9:1-12 Ap 16:10-11
Ap 9:13-21 Ap 16:12-14
Ap 10:7 Ap 15: 17-21

 

 

  • Conceito Sincronológica

 

Essa escola acredita nas teorias paralelas, de que sim haverá uma série de sete acontecimentos, mas entretanto, esses acontecimentos ocorreriam durante o mesmo período de tempo, até que sucedera o fim dos últimos tempos.

 

 

Essa seria a primeira parte do estudo bíblico sobre o livro de Apocalipse. Espero que tenha sido útil pra vc! Para os próximos posts a intenção é escrever uma análise sobre o livro, estudar as interpretações escatológicas, visões, e as cartas as setes igrejas.

 

Estudo realizado após a leitura dos seguintes livros: “ O novo testamento interpretado versículo por versículo, autor R.N. Champlin, editora Hagnos, vol. 6. E também através da leitura do estudo “ Introduccion a La bíblia, Estúdio #58 – El Nuevo Testamento”, autor Stuart Allsop, texto em espanhol.

 

 

Se de alguma maneira esse post foi benção para seus planos e sua edificação pessoal, você poderá agradecer fazendo coisas bem simples:

 

 

  • Compartilhar uma das fotos desse post em Pinterest “Pin it”

 

Muito obrigada por visitar o blog!!!

 

Saludos,

 

Emiliana Sábio P. Valente

 

Read More